quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Quem fala bobagem!!!!!!!!

Esta matéria foi publicada em 9 de dezembro de 2009 às 18:22 pela Lancepress. O Perrella fala demais... Escuta né????!!!! E olha... adorei!
Kalil compara Cruzeiro aos Três Patetas
Presidente do Galo dá o troco após ser alfinetado por Perrella
Na segunda-feira o presidente do Cruzeiro, Zezé Perrella, concedeu entrevista coletiva e não poupou o rival Atlético-MG das piadas. Chamou o Galo de "flanelinha" por ter guardado a vaga na Libertadores, agradeceu pela ajuda e disse que o presidente do Galo, Alexandre Kalil, já se achava campeão e dono de vaga na competição internacional.
Antes da apresentação oficial de Vanderlei Luxemburgo como novo treinador do Alvinegro, Kalil aproveitou para rebater algumas declarações dadas por Zezé. O dirigente atleticano, inclusive, comparou a participação celeste na Libertadores com o seriado "Os Três Patetas".
- Hoje estamos tendo a segunda coletiva do Atlético-MG na semana. Porque na do outro só se falou em Atlético-MG. Mas eu acho que isso é bacana. Eu pisei muito no Cruzeiro, eu gozei muito o Cruzeiro neste ano. Acho que é muito justo ele dar o troco. Mas eu acho que a história da Libertadores do Cruzeiro nesses últimos anos é igual à história dos ‘Os Três Patetas’, aquele seriado da televisão. A gente sabe tudo que vai acontecer e, no final, vamos morrer de rir de novo - disse Kalil.
Só pra lembrar, na última Libertadores o Cruzeiro perdeu para o Estudiantes em pleno Mineirão, e a festa celeste no Estádio lotado se transformou em silêncio na noite de uma quarta-feira. Os argentinos do Estudiantes venceram o Cruzeiro de virada, por 2 a 1, e levaram o título da Copa.
Verón naquela ocasião, foi o grande herói argentino. Em escanteio, ele cruzou em cobrança de escanteio, o artilheiro da Libertadores, Mauro Boselli, cabeceou com força e fez o gol do título.
Após a partida, os jogadores do Cruzeiro não conseguiram segurar a tristeza e alguns deles saíram para o vestiário aos prantos, como foi o caso do volante Henrique.
Outro que chorou, mas de felicidade, foi o experiente Verón. E viva Verón... É bom o Perrella ficar caladinho!!!!
Beijos

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Dois pesos e duas medidas: o resgate

Falando em falso moralismo, em o que é certo, o que é errado, se é que isto importa, me lembrei de outro detalhe interessante dos comentários das pessoas. Li, quando a Ana Carolina lançou o DVD Dois Quartos, lindíssimo por sinal, uma crítica que me deixou cabreira. Olha como são as coisas... Obviamente, fica evidente o histerismo de algumas fãs... "Ana eu te amo" "Ana você é linda"... "Ah, ah, ah!!!!" Gritos e mais gritos... Lógico! São fãs... Nada demais... Mas pelo visto, a crítica considera obviamente, que a Ana Carolina não pode ter ninguém que suspire por ela. Será que é pelo fato de ela ter declarado ser bissexual? Será que é pelo fato de a grande maioria de fãs ser mulher... e homossexual (quer dizer... sapatão mesmo, no jargão vulgar destas pessoas)?
O crítico foi cruel, ao dizer que o show foi vulgar... Que as fãs faziam vultaridade atrás de vulgaridade... Por que? Tenho o DVD e não vi nada demais, a não ser uma grande demonstração de amor pela cantora. Ah!!! É tudo sapatão. Não pode de forma alguma deixar fluir o sentimento. Tem que colocar no fundo do baú e abafar....
O que fico constrangida com este tipo de comentário... crítica... sei lá o que... acho que tá mais pra preconceito, é que engraçado... Estes sertanejos com voz de frigideira, estridente, repugnante, têm fãs que berram... que jogam roupas íntimas no palco, e a crítica acha lindo!!!!! Aliás, diga-se de passagem, muitos deles não ficam felizes com calcinhas jogadas no palco... Acho que preferiam uma cueca... Agora, tem cantora sertaneja que preferia calcinha.
Ah!!!! Mas isto não é dito pela crítica. Homossexuais, somente no pop e rock and roll!!! Os sertanejos são todos machos... Ah, e com M deste jeito mesmo, maiúsculo... Aliás, homem macho é homem macho... Acham machos lindos!!!!! Macho é lindo, macho é tudo... Hummmm!!!!!
Então é isto gente... Eles podem ter fãs aos berros... Podem mentir que depois pegam... que são muito homens... E a crítica acha lindo!!! É gente, até na hora de criticar, tem que ter dois pesos e duas medidas... O que serve pra um, também tem que servir pra outro. Aliás, quando falam da sexualidade de uns, também tem que falar de outros tá bom?
Registrado!!!
Beijo no pâncreas a todos.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Dois pesos e duas medidas!!!!

Engraçado como as pessoas não têm dois pesos e duas medidas na vida!!! Outro dia escutei um comentário um tanto quanto estranho... como tudo que circunda o nosso falso moralismo. Não é segredo pra ninguém que sou simplesmente apaixonada pelo Cazuza. Aliás, na minha modesta opinião, foi o maior poeta da minha geração. Infelizmente, com sua morte prematura, muita gente não teve acesso (por falta de interesse mesmo) ao seu grandioso trabalho... E lógico... inteligentíssimo.
Bem, voltando ao assunto do comentário. Recebo e-mail falando do filme, e comentários tipo: "nossa, ele era um mau exemplo.... Como passam um filme dando este tipo de exemplo?"
Depende do que as pessoas entendem por mau exemplo. Em primeiro lugar ele era um artista, distante deste mundo, e que tinha todo o direito de se embebedar, se drogar, dar a bunda.... Aliás, este é um problema dele. O que me deixa intrigada, é que pessoas que não são do meio artístico, tipo jogador de futebol, se embebedam, descobrem depois de muito tempo em um quarto com "garotas de programa" que a garota tem um pinto (nossa, depois de três horas... inocente né?), também descobre depois do mesmo tempo que foram buscar foi cocaina e não farinha de trigo, enfim.... Jogador de futebol também tem sua vida pessoal, e ninguém tem nada com isto, mas deveria não usar cigarro, droga... Afinal, depende do corpo para viver... E o futebol paga muito bem pra estes analfabetos de pai e mãe... Tem que, de uma certa forma, dar satisfação sim, pois dependem de estarem bem fisicamente pra jogar. Este não é um mau exemplo?
Tem um outro jogador aí... que inclusive tem um título um tanto quanto alto para o seu cargo, que simplesmente abandonou a filha, quando mais precisava. Olha que lindo... mandou coroa de flores no enterro dela. Não quer saber dos netos.... Não dá assistência... Bem... Ele dá bom exemplo? De que?
Mas engraçado, que ninguém fala. Todo mundo fala do Cazuza, que como artista, não interferia em nada ele se drogar ou não, beber ou não...
É bom as pessoas terem noção do que é um mau exemplo, ou então fazer uma avaliação para apontar x ou y como tal. De mau exemplo o mundo tá cheio... Basta ligar a televisão... Assistir a novelas.... Quer mais mau exemplo do que as novelas dão? Instigam adolescentes e boyzinhos ao vandalismo... Dão espaço pra bandido da classe média alta falar, mas não dão pra bandido da classe baixa falar!!!! Enfim, o que é mesmo mau exemplo? É bom não apontar.... Olha a sociedade como um todo e conte nos dedos quem dá o bom exemplo. Desabafo feito.
Bjunda

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Não basta apagar o fogo!!!!

Foto da frente de combate ao incêndio que devastou a Austrália.
"Quem não entende um olhar, muito menos entenderá uma longa explicação.."

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Somos mesmo extraordinários!!!




Resisti um pouco em assistir, mas valeu a pena!!! Trata-se de Marley e eu, com Owen Wilson e Jennifer Aniston. Minha cachorra Natasha, que morro de saudade, morreu há dois anos (novembro de 2007), e demorei pra assimilar. Mas hoje estamos com a Valentina, uma labrador, diferente do Marley na cor, pois ela é marrom, mas muito igual nas artes. Uma praguinha... como diz a Paula. A pior cachorra do mundo!!!! (mentira!!!) Vamos até levá-la a uma igreja... quem sabe se converte e melhora!!!!!
Bem, mas não foi pra falar da Valentina que aqui estou, e sim pra colocar uma frase que finaliza o filme, e que resume tudo o que o cachorro sente... Ou quase tudo. Resume o quão ele é companheiro e fiel. A gente sofre na hora que eles se vão, mas o tempo que passamos juntos, é demais!!! O personagem de Owen Wilson (John), depois de enterrar o cãozinho em uma cerimônia emocionante, inclusive com Jennifer Aniston (Jenny) o chamando de "cão de liquidação" de maneira emocionada, diz o seguinte:

"Um cachorro não precisa de carrões, de casas grandes ou roupas de marca.
Um graveto está ótimo pra ele.
Um cachorro não se importa se você é rico ou pobre; inteligente ou idiota; esperto ou burro.
Dê seu coração pra ele, e lhe dará o dele.
De quantas pessoas você pode falar isto?
Quantas pessoas fazem você se sentir raro, puro e especial?
Quantas pessoas fazem você se sentir extraordinário?"
Lá em cima, a Natasha (saudade sempre!!!) me fazia sentir o máximo, extraordinária!!! E agora a Valentina um dia depois de chegar em casa com 34 dias também me faz sentir assim, e sei que me ama muito!!!! Afinal, dei meu coração a ela.
Aliás, só lembrando uma frase polêmica, mas a considero perfeita:
"Quanto mais conheço os seres humanos, mais amo meus cachorros."

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Mais histórias - esta do Milton Bituca

Brasília rendeu!!! Esta história é hilária... Depois de me buscar na UNB, a Renata e Cládio deixaram a Inês no hotel onde estávamos hospedadas, e me levaram até a casa deles antes de irmos para o boteco (aliás, divino!!!). Chegando lá, pedi que colocasse o DVD da divina Elza Soares, fiquei ali assistindo e comendo uma boa carne, quando o Zé Marcelo (uma figuraça) quer falar comigo ao telefone... Infelizmente, não deu para nos vermos nesta oportunidade, mas em novembro, quando voltar, com certeza viu Zé????
Bem, sem fugir do assunto, voltando ao telefonema, ele me perguntou onde estava sentada. Respondi que no sofá. Ele então veio com uma pergunta mais estranha: - De que lado? Respondi: - Do lado esquerdo... Lógico, tinha que vir do Zé Marcelo. "Pituca, você está sentada onde o Milton Nascimento sentou!!!! Estão te dando massa de pizza pra comer? Porque quando vou aí... Nem pra sentar me chamam... Muito menos pra comer massa de pizza", disparou.
Fui saber da história. É que há alguns meses, Milton foi fazer um show em Brasília, e por coincidência, foi para o mesmo bar ou restaurante (sei lá), onde se encontravam Renata e Cládio. O bar fechando lá pelas tantas da madrugada, Renata escutou Milton Nascimento falar com o garçon: - Poxa, não tem nada pra comer? Já fecharam a cozinha? Poxa, estou com fome. Não tem nem uma massa de pizza aí?
Escutando o assunto, a minha amiga bem saidinha diz com aquele jeitinho dela: - Ué, por isto não, massa de pizza tem lá em casa.
Prontamente, Milton diz: - Então vamos lá. Onde você mora?
E não é que Milton foi até a casa dos dois amigos mais lerdos que tenho comer massa de pizza?!!!!
Agora, como disse para o Zé Marcelo né gente. Quem é Milton, vulgo Bituca... Afinal, Renata e Cládio estavam recebendo naquele momento a Pituca (euzinha). Entre Bituca e Pituca, lógico, sou mais eu!!!!!! Com todo respeito tá Milton!!!!
Bjunda

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Voltando a Brasília

Como já comentei neste espaço, estive em Brasília mês passado. Neste mês, provavelmente dias 27, 28 e 29, estarei lá de novo. Gente, falei do evento, mas não comentei o quanto foi bom reencontrar amigos jornalistas daquela cidade. Uma grande amiga, que ficou pra sempre cravada no meu coração desde que trabalhamos juntas, foi a Renata. Hoje ela trabalha em uma emissora que, cá entre nós Renatinha, tá lá pra amenizar a bunda (putz... ela não gosta que falo bobagem!!!) dos caras né?!.... Mas pelo menos todo mundo sabe onde ela trabalha... Na hora que vê a torre, lembra dela.
Bem, mas ela foi me buscar na UNB e ficou meia hora me esperando com o Cládio, marido dela, que também considero muito. Hoje ele está na Aneel, e levou pra Brasília o mala do Adriano... Mala no bom sentido. O cara é demais!!! Aliás, quero deixar registrado aqui que estava eu no boteco com Renata e Cládio e toda uma galera de jornalistas, dos mais diversos meios de comunicação, quando chega ele, Isabel (sua esposa), e a filhota, que aliás vi pequenina e agora tá uma moça. Bem, me convidou pra ir até a casa deles, onde fui extremamente bem recebida.
Pra começar, tinha um som de vinil lá.... Ele e Isabel me colocaram para ser a DJ da noite. O máximo!!! Uma preciosidade aqueles vinis, aquele som, aliás, aquele ambiente maravilhoso. Falamos de tudo, e lógico, muitas bobagens. Ah! e tocamos violão. Tocamos??? Sei lá!!! Estava sem minhas letras, minhas músicas, e acabei arranhando alguma coisa muito mal e porcamente. Mas valeu!!!! Fiquei feliz. Galera, vou preparada pra próxima vez ok? Ah, e não esqueci de escutar o DVD pra colocar comentário aqui não tá? Só ainda não tive tempo. Quero ver com calma.
Beijo no pâncreas em todos

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Nossa princesa!!!!




Olha, estou muito feliz. No dia 25 de setembro deste ano de 2009, Valentina veio ao mundo. Irmã de outros seis labradores. Apesar de a patinha branca descaracterizar a raça (não quero pedigree mesmo!!!!!), na hora que vi me apaixonei, principalmente pelas patinhas brancas. Então, no dia 29 de outubro, ela chegou na nossa casa. Amparada de muito amor, como será por toda a sua vida... Nas fotos, percebam!!!!!!!!!!! Ela tem um puta olho azul... Lindos!!!!

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Tudo o que eu queria dizer!!!!

Gente, estive no final de semana, especificamente dias 24 e 25 de novembro em Brasília (DF), participando do Encontro das Coordenações e dos Profissionais de Comunicação das Entidades de Base, promovido pela Fasubra Sindical. Foi de extrema valia, apesar de muitas das discussões ficarem em torno do que todos nós, profissionais da comunicação já sabemos. Umas destas coisas é a falta de valor da nossa profissão. Bem, mas esta é outra história, que não vale a pena ficar repetindo. Dentre inúmeros aprendizados, destaco a palestra de Vito Giannotti, "Comunicação como instrumento da Disputa de Classe". Ele discorreu ainda sobre o assunto Mídia Impressa, mas a que mais me chamou a atenção foi com certeza a primeira. Ele disse tudo o que sempre considerei uma baita putaria da mídia burguesa, como nos sindicatos se refere à Rede Globo, Veja, etc, etc, etc...
Pra começar ele colocou um capítulo da novela "Páginas da Vida" que foi refeito pelo autor. Pasmem!!!!! Um custo enorme para ser feito isto, mas a emissora do senhor Roberto Marinho estava disposta a manipular as pessoas, como é corriqueiro. Trata-se do capítulo posterior à morte de uma criança que foi arrastada por alguns quilômetros por bandidos que assaltaram o carro em que ela estava. Na manchete do Jornal O Globo estava estampado: "Barbárie contra a Infância", e este periódico foi aberto por três freirinhas, personagens da novela, mostrando ao público. De fundo, escutava as vozes frisando que era uma barbárie, uma barbárie, uma barbárie. Assim como considera Vito em seu comentário durante o evento, eu também tenho a mesma opinião. Realmente, foi uma barbárie. Longe de mim defender um bandido que arrastou uma criança por quilômetros e a matou!!!! Aliás, um ato terrível.
Mas o que foi colocado durante o evento, e que assino embaixo, foi o fato de que a Rede Globo muda o capítulo de uma novela, para instigar a população contra uma classe social. Naquele caso, contra os favelados, que, para aquela emissora, não passam de bandidos. Isto eles deixam claro sempre. Mas a Rede Globo, não muda o capítulo, quando alguns jovens da sociedade "abastada" de Brasília resolveram se divertir e puseram fogo no índio Galdino? Era o Dia do Índio. Quatro rapazes brancos, filhos de desembargador, de juiz, promotor, deputado, todos bem nascidos, bem criados, saíram para comprar álcool, cobriram-no de álcool e o incendiaram. Isto é que Vito questiona, e óbvio, eu também. O Globo colocou alguma manchete tipo a do garoto? A Globo colocou quantas freirinhas rezando o pai-nosso em cena? Quando a polícia mata moradores, no Complexo do Alemão no Rio de Janeiro?
Agora, a melhor parte foi quando ele (Vito) citou os 21 moradores de Queimados, que foram chacinados para vingar um policial morto pelo tráfico. Diga-se de passagem, dessas, apenas duas tinham alguma passagem pela polícia. Ele questiona porque o Globo não colocou “barbárie” na sua manchete, e as freirinhas rezando. "Se para a criança morta foram 3, para os 21 de Queimados deveriam ser 21 X 3 = 63. Tinha que colocar o convento inteiro rezando o Pai Nosso e a Ave Maria", comentou.
Mas enfim, "brincadeiras com seriedade" a parte, por que nossa mídia incentiva tanto a população a se voltar contra a população pobre, favelada, negra.... contra a mulher, o homossexual???!!!!! Por que não há dois pesos e duas medidas?
Uma situação recente aconteceu com o rapaz do AfroReggae que foi assaltado e morto. Assistindo ao Jornal Hoje, a matéria mostrava o possível assassino e ladrão... Mas esqueceram de mostrar que teve um policial que passou pelo corpo no chão, omitiu socorro e ainda "pegou" a blusa da vítima. Ou seja, isto foi mostrado em um primeiro momento, como os outros casos, mas agora já cai no esquecimento. Só o favelado tem culpa!!!
É isto gente. Queria escrever mais sobre o encontro, mas preferi dar preferência para um assunto que considero de suma importância na nossa sociedade. As pessoas precisam ter consciência, e parar de ir atrás dos Marinhos, Frias, etc, etc, etc, da vida...
Bjunda

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

"E eu não tenho pátria e quero frátria!!!"

Encontrei o Clube Caiubi de Compositores. Por isto estou sumida, pois estou me deliciando... Nossa!!! Demais. Só música de altíssima qualidade. Aí, fico escutando o dia todo. Para não passar em branco... Vai aí uma letrinha de música que amo, e traz muitas coisas boas... Uma reflexão!!!! Letra maravilhosa, e música cantada por dois monstros da MPB, Caetano e Elza Soares. Aliás, vale a pena escutar por causa dela. A benção minha nêga...

Língua
Caetano Veloso
Gosto de sentir a minha língua roçar a língua de Luís de Camões
Gosto de ser e de estar
E quero me dedicar a criar confusões de prosódia
E uma profusão de paródias
Que encurtem dores
E furtem cores como camaleões
Gosto do Pessoa na pessoa
Da rosa no Rosa
E sei que a poesia está para a prosa
Assim como o amor está para a amizade
E quem há de negar que esta lhe é superior?
E quem há de negar que esta lhe é superior?
E deixe os Portugais morrerem à míngua
“Minha pátria é minha língua”
Fala Mangueira! Fala!
Flor do Lácio Sambódromo
Lusamérica latim em pó
O que quer
O que pode esta língua?
Vamos atentar para a sintaxe dos paulistas
E o falso inglês relax dos surfistas
Sejamos imperialistas! Cadê?
Sejamos imperialistas!
Vamos na velô da dicção choo-choo de Carmem Miranda
E que o Chico Buarque de Holanda nos resgate
E – xeque-mate – explique-nos Luanda
Ouçamos com atenção os deles e os delas da TV Globo
Sejamos o lobo do lobo do homem
Lobo do lobo do lobo do homem
Adoro nomes
Nomes em ã
De coisas como rã e ímã
Ímã ímã ímã ímã ímã ímã ímã ímã
Nomes de nomes
Como Scarlet Moon de Chevalier, Glauco Mattoso e Arrigo Barnabé
e Maria da Fé e Arrigo Barnabé
Flor do Lácio Sambódromo
Lusamérica latim em pó
O que quer
O que pode esta língua?
Se você tem uma idéia incrível é melhor fazer uma canção
Está provado que só é possível filosofar em alemão
Se você tem uma idéia incrível é melhor fazer uma canção
Está provado que só é possível filosofar em alemão
Blitz quer dizer corisco
Hollywood quer dizer Azevedo
E o Recôncavo, e o Recôncavo, e o Recôncavo meu medo
A língua é minha pátria
E eu não tenho pátria, tenho mátria
E quero frátria
A língua é minha pátria
E eu não tenho pátria, tenho mátria
E quero frátria
Poesia concreta, prosa caótica
Ótica futura
Samba-rap, chic-left com banana
(– Será que ele está no Pão de Açúcar?– Tá craude brô– Você e tu– Lhe amo– Qué queu te faço, nego?– Bote ligeiro!– Ma’de brinquinho, Ricardo!? Teu tio vai ficar desesperado!– Ó Tavinho, põe camisola pra dentro, assim mais pareces um espantalho!– I like to spend some time in Mozambique– Arigatô, arigatô!)
Nós canto-falamos como quem inveja negros
Que sofrem horrores no Gueto do Harlem
Livros, discos, vídeos à mancheia
E deixa que digam, que pensem, que falem.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

É... Ela é ruim mesmo... bom é quem chora!!!!!

Vejam o perfil desta moça. Peguei no blog dela (aliás, peço licença), e como não consigo fazer um comentário, pois deve estar bloqueado por causa do programa Ídolos, o coloquei aqui para transferi-lo posteriormente para o blog dela, com meu comentário. Vejam:

Dani Morais
BH, MG, Brazil
A paixão pela música começou na infância, aprendendo os primeiros acordes com tios e primos. Sua família acreditava que era uma fase. Não era. A filha de PEDRA AZUL, do VALE DO JEQUITINHONHA, tem música no sangue, pulsando na sua voz, marcando seu destino. Aos 17 anos ingressou na Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES), no curso de Artes, com ênfase em Música. Em 2006 graduou-se em canto lírico, incluindo-se entre 60 cantores do norte mineiro que buscavam aperfeiçoamento e profissionalização, através de aulas de canto ministradas pela professora Babaya. Alcançando destaque, foi escolhida para fazer parte de um novo projeto da empresa Vallée, a gravação de um cd, chamado "Outra Manhã", com reeleituras da obra do renomado compositor Beto Guedes, com o seu parceiro de projeto Alan Patrick. Migrou para a capital, colheu e colhe aplausos na noite e se integrou à equipe de professores da Babaya Escola de Canto. Dani Morais, timbrando forte, interpretando do seu jeito a musicalidade da sua gente, desponta promissora no cenário musical.


Pois é gente, este é o perfil da moça, que já ganhou a implicância de um "renomado" produtor musical... Nossa, o moço.... este renomado produtor musical, falou um dia no programa Ídolos, da TV Record, que a voz mais linda do mundo é a do Zezé de Camargo (daquela dupla que chora pra cantar e tem aquela voz esgarniçada, de frigideira... Lembram?!!!!). Olha, acho que ele nunca deve ter escutado a voz do Zé Renato (Boca Livre e também com carreira solo). Aliás, a mais afinada voz masculina que já ouvi. Bem... Mas não fugindo do assunto. Ontem, dia 13 de outubro, terça-feira, no programa que ele é jurado, a magistral e, a partir de agora, fundamental para os meus ouvidos, Dani Morais (esta do currículo ruim aí de cima - bons são aqueles caras que ele gosta que não tem um pingo de cultura, nem musical, e nem outro tipo qualquer), cantou na audição do Ídolos a música "Pagu", de Zélia Duncan e Rita Lee. O cara faz o seguinte comentário:
"No meu gosto, essa música 'tá' numa linha muito fina entre o agressivo e o mau gosto." É, pra quem gosta daqueles caras, a Rita Lee e a Zélia devem se sentir lisonjeadas com o comentário. Afinal, é muito cara de pau criticar estas duas... mas vindo de quem gosta do que gosta.... Insignificante.
O pior é que Dani se deu ao trabalho de responder: "Eu aceito plenamente a sua opinião. Mas o Brasil é muito grande e eu tenho certeza que 'Pagu' é uma música bacana e representa a mulher."
Aí ele responde: "Como o Brasil é muito grande também sabe do que eu 'tô' falando e tem muita gente que não deve ter gostado."
Com certeza senhor da verdade!!!! O Brasil é muito grande, muita gente tem a sua opinião. Por isto que estes caras (voz de frigideira) estão ricos. O povo gosta é disso mesmo. De lixo!!! E por isto, quem vai acabar ganhando este Ídolos, não será ela, e nem o Diego Morais... Outro que os meus ouvidos merecem. Vai ser com certeza o pior deles que é um que canta sertanojo... que o público a que se referiu o nobre produtor fala. Bem... Mas acredito nas pessoas de bom gosto ainda. E sei que muita, mas muita gente mesmo, gostou do que ouviu, e ouve em qualquer voz, a música Pagu... Uma obra de arte!!! Salve Zélia! Salve Rita!!!
Ah... E por falar em Diego Morais, que escolheu outra de Rita, "Alô, Alô Marciano", e deu um show a parte, também recebeu crítica do produtor. "Você tem realmente um nível e uma técnica muito apurados. Eu acho que se você escolhesse uma música melhor pra tua voz você pode ir melhor." É, afinal de contas ele não escolheu Entre Tapas e Beijos (música séria, que não tem baixaria, e que a gente tem que pensar muito pra entender, de tão cultural), ou outra qualquer do repertório tão querido pelo produtor... Graças a Deus. Diego, Dani.... continuem tendo bom gosto tá????!!!! Pelo amor de Deus. Meus ouvidos necessitam de músicos como vocês.
Beijo no pâncreas

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Trocando figurinhas!!!!

Realmente ultimamente estou fuçando, fuçando, e achando cada coisa!!!! Tenho a ajuda incondicional da minha grande amiga Simone Silva, jornalista que hoje mora e é editora de um jornal em... onde mesmo????... Sei lá... Ah sim... Rio Verde (GO). Bem, o certo é que nós adoramos música, e temos mais ou menos o mesmo gosto musical. Aí, a gente troca figurinha. Uma fala de um cantor ali, outra de outro aqui... E, lógico, ela busca na internet (é mais a praia dela), e eu usufruo. Três Meninas do Brasil é o CD... Não gente, a Simone tá "no Goiás", mas não é música sertaneja de três cornas não!!!! É música de primeira qualidade. Trata-se de um álbum (CD e DVD), que simplesmente coloca no mesmo show três grandes cantoras e compositoras da MPB.
Uma é maranhense, a outra carioca, a outra mezzo baiana, mezzo mineira. Juntas, Rita Ribeiro, Teresa Cristina (olha... pra quem não sabe, minha xará - mas o meu nome escreve com TH e Z) e Jussara Silveira formam as Três Meninas do Brasil. Uma grande viagem pela diversidade da música brasileira. O espetáculo foi registrado no dia 24 de agosto de 2008, no Teatro Municipal de Niterói.
Falando um pouquinho delas, Jussara Silveira, é mineira de nascimento, mas naturalizada baiana. "Ela é uma intérprete de densidade emocional extrema, que não deságua em dramaticidade", define Arnaldo Antunes.
A maranhense Rita Ribeiro traduz, em sua música, uma mistura de MPB, cultura pop e “música popular de raiz”. Aliás, ela gravou também o bem-sucedido Tecnomacumba, que é um mergulho nas influências das religiões africanas na música brasileira.
Já a carioca Teresa Cristina passeia pelas diferentes vertentes do samba e a música popular de raiz.
A semente de Três meninas do Brasil nasceu do interesse de Teresa Cristina e Rita Ribeiro em compor algumas canções em parceria. Já nos primeiros encontros das duas, surgiu a idéia de um show em trio e a decisão de convidar Jussara Silveira para ser o terceiro vértice do triângulo musical.
O repertório do show não precisa nem falar né?!!!! Tem ali Luiz Gonzaga, Dorival Caymmi, Antônio Vieira, Sérgio Sampaio, Carlinhos Brown, Zeca Baleiro, Chico Buarque, Caetano Veloso, Zé Ramalho e Tom Zé, entre outros. Há também composições próprias.
Imperdível...
Bjunda

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Nossa!!! Tô muito musical estes dias

A Duncan Discos, em 2005, lançou "Paralelas" - não meus amigos, não é aquela música do Belchior que a Vanusa conseguiu assassinar, mas um CD com parcerias de Alice Ruiz e Alzira Espíndola, e que conta com participações magistrais de Arnaldo Antunes (meu gênio) e Zélia Duncan. Alice Ruiz, poeta, haicaísta, letrista e Alzira Espíndola, cantora e compositora, se conheceram no final dos anos 80 por intermédio de Itamar Assumpção (putz!!! sem comentário. O cara era demais). Desde então, as duas vêm desenvolvendo composições em parceria. O CD foi gravado ao vivo no final de outubro de 2004. No repertório, são dez parcerias e duas "tricerias", que são: "Cabeça Cheia" e "Ladainha", com Vera Motta e Estrela Ruiz Leminski, respectivamente. Os poemas declamados pela poeta Alice fazem a abertura das canções ou parte delas. Não preciso dizer que vale a pena né?
Diz que é você
(Alzira Espíndola e Alice Ruiz)
O dia inteiro diz
e até a noite diz
que é você meu
bom senso, mal-juízo
meu desejo e o que vejo
dizem que é você
meu outro lado esbraveja
veja, tenho certeza
que é você
o sol nasce e se levanta
se deita e de todo jeito diz
que é você
a lua mingua, a lua cresce
e mesmo nova
já está cheia de dizer
que é você
o dia inteiro diz
e até a noite diz
que é você
meu bom senso, mal-juízo
meu desejo e o que vejo
dizem que é você
meu outro lado esbraveja
veja, tenho certeza
que é você
o sol nasce e se levanta
se deita e de todo jeito diz
que é você
tudo o que digo e faço
é só pra disfarçar
e eu só penso e me convenço
que é você
só você insiste em dizer
que não é você
Nesta música a voz é de Zélia Duncan; violão: Alzira Espíndola e Luiz Waack; calimba: Décio Gioielle; baixo: Paulo Lepetit; e bateria: Sandro Moreno

Este é só um aperitivo. Escutem muito e se deliciem!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Bjunda a todos

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Fique de olho nela também

Falei de Maria Gadú, mas não posso deixar de citar Ana Cañas. Olha, ela lançou seu segundo trabalho "Hein?", onde tem parcerias com Arnaldo Antunes (meu gênio, maravilhoso!!!!!). Nem precisa comentar né? Está mais rock'n roll. Ótima. Aí vai um aperitivo. Vale a pena conferir. Aqui uma Ana mais calma, cantando Caetano, no documentário "Amor e Caos". Clique aqui. Aqui uma Ana Cañas, uma diva, uma beleza... "Devolve moço". Clique aqui. Confiram, e se puderem, escutem tudo dela.
Bjunda

Meio indie, meio rock and roll... pura sensibilidade!!!

Jamais podia imaginar que um dia iria escutar Baba Baby da Kelly Key (acho que é assim que escreve), e que iria achar o máximo!!! Pois é... Lindíssima, suingada, meio blues... Uma preciosidade a versão de Maria Gadú - Clique aqui. Olha, esta menina, não é por acaso, caiu nas graças de Milton Nascimento. Também de Caetano. Encantou Jayme Monjardim, e por aí o caminho até a Som Livre - que diga-se de passagem fez um projeto gráfico maravilhoso no CD da moça - foi um passo. Grande pedida... Sensível. Escutar o som desta menina de 22 anos, paulistana, que entrou na noite carioca, viajou o mundo de "dedão", e que sofreu muito perrengue na noite, filha de mãe hippie... é simplesmente maravilhoso. A gente entra em transe com sua voz rouca e sutil ao mesmo tempo. Ela empresta interpretações maravilhosas à música de Chico Buarque A História de Lilly Braun; à sua própria Dona Cila - que fez para a avó; enfim, é uma cantora, compositora e violonista de primeira. Vale a pena. Aí vai mais um aperitivo, onde ela canta com Tiago Iorczeski, conhecido como Tiago Iorc - Clique aqui.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Era mesmo mais prudente para o mundo se nos imitassem!!!

Estava eu relendo um livro magistral do meu amigo Zé Beto, "Sombras do Descobrimento - O Livro de Esperanza", e cheguei em um ponto que adoro e vou transcrevê-lo aqui, dentre outras coisas que ainda vou postar deste livro. Com sua permissão Zé Beto aí vai:
-"Ao se perceberem donos de um prazer singelo e ímpar, os homens quiseram nos impedir de desaguar as nossas ondas sucessivas de orgasmo. São muito espertos na santa ignorância, coitados! Era mais simples descobrir caminhos para nos imitar."

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Preconceito dá nisso!!! Não é só na casa do vizinho que acontece!!!

Este é outro texto muito bom. Mas de outro show da Ana. Este foi lido no show realizado com Seu Jorge. Magistral!!! Leiam. Vale a pena.


ALFREDO É GISELE
Elisa Lucinda

Sora vê, daqui do táxi a gente sabe é cada coisa! Sabe e aprende, aprende até a não ter preconceito. É, vou dizer, cada um tem o seu segredo, seu cada qual. Nem que seja uma coisica de nada, no fundo todo mundo lá dentro tem uma verdade só dele, que às vezes nem ele mesmo sabe.
Outro dia peguei um casal assim já de meia idade, bem apessoado, lá no centro, no Teatro Municipal. Eles tinham ido vê uma tal de Ópera, sei lá. Já eram umas onze e meia da noite, e a gente veio bem até o Aterro, entramos em Botafogo e o trânsito emperrou. A mulher já azedou na hora e foi falando pro marido:
Que trânsito é esse, quase meia-noite? Não é esquisito, Alfredo?
E o tal do Alfredo parecia um homem rico, mas não era fino, sabe? E não gostava mais dela, acho. O cara era uma múmia. A resposta dele pras conversas da mulher tavam mais pra rosnado, sabe?
Alfredo, isso não é um absurdo? Nós aqui parados num trânsito quase de madrugada, não entendo, é estranho, hoje é sábado. Será que é algum acidente, Alfredo?
Como o homem não dizia nada, aí eu interrompi:
Com todo o respeito, sabe o que é isso madame? Simplesmente aqui virou um lugar só dehomensexuais e mulher sapatona. É cheio de barzinho deles, a rua toda. Fim de semana ferve. Quem quiser ver homem beijando homem e mulher se esfregando em mulher, é aqui mesmo.
Você tá ouvindo, Alfredo? Meu Deus, eles agora têm até bar pra eles, até rua!? Não é um absurdo, Alfredo?
Ô Onça, cê me conhece, sabe bem como é que eu sou. Pra mim isso se resolve é na porrada. Se eu sou o pai, desço do carro e não quero nem saber o que é que entortou, o que é que virou, não quero saber o que é cu e o que é fechadura, baixo o sarrafo na cambada! Eu, com sem-vergonhice, o sangue sobe, viro bicho!
Pára de falar essas palavras de baixo calão, Alfredo. Hum! Fica de gracinha que a pressão vai lá nos Alpes, você sabe muito bem o que é que o médico falou…, não é motorista? Alfredo não é muito esquentado?
Eu dei o meu pitaco:
É madame, o negócio que ele tá falando é como eu vi no filme: uma metáfora. Ele não vai bater, vai só ficar zangado.
E o senhor sabe lá o que é metáfora? O senhor lá entende de metáfora? Escuta isso Alfredo! O que é metáfora, seu motorista?
Metáfora pelo que eu entendi é assim: aquilo não é aquilo, mas é como se fosse aquilo. Então, em vez da gente dizer que aquilo é como se fosse aquilo, a gente diz que aquilo é aquilo. Mas não é. É como se fosse. Foi?
Eu acho que o senhor tá certo, mas na verdade eu estou é chocada com essa libertinagem. Olha aquele homem… que safadeza meu Deus! E de bigode ainda! Escuta isso Alfredo!
Escutar o que, Coisa?
O que eu estou vendo, gente! Ai, Alfredo, não está vendo? Parece que é cego, não é motorista?
Hoje tá até fraco. Eu falei. Hoje nem tem osgeneral.
Quem são? Escuta isso Alfredo!
General da sapatona é aquelas de coturno que parece mais com um macho do que qualquer outra coisa. E o outro general é o homem transformista que é a traveca, mas anda é na Gilete mesmo.
Tá ouvindo, Alfredo? A violência e a decadência como estão?
E a gente vai ter que ficar parado nesta merda, ô Coisa?
Calma, Alfredo, não fica nervoso! Isso é questão do nível das pessoas. A gente tem… não é motorista?… mais condições, temos que entender essa…, essa…, como é que eu digo, meu Deus? Essa…
Putaria!
Falamos juntos, eu e o tal do seu Alfredo com cara de doutor de num sei de quê.
Cruzes, Alfredo, não era isso que eu ia… Alfredo, olha, aquela moça! Gente, uma menina, dezoito no máximo, e a outra maiorzuda no meio das pernas da coitada, fazendo sabe lá o quê!!! Tá vendo Alfredo aquela ali? Ali, aquela Alfredo, em cima do carro! Olha lá, Alfredo, a mão da grandona na menina! Elas vão ser beijar na boca, minha Nossa Senhooora…
Que transitozinho, hein, jararaca?
Tá beijando, tá beijando, tá beijando Alfredo! Ela parece… Alfredo é Gisele! Alfredo! Nossa filha!?
Filha da puuuutaaa…
E desmaiou o tal do doutor, enquanto a jararaca da mulé ventou porta afora de sapato na mão atrás das duas e eu pensando: não quero nem saber, encosto aqui mesmo e espero resolver, que uma corrida dessa eu não vou perder, que eu não sou bobo e nem sou rico. É ruim de eu ir embora, hein?
Então, fiquei naquela situação: eu com um cara que era um ex-valente todo desmaiado no banco de trás parecendo uma moça e a mulé pisando forte que nem um general indo atrás da moça. Quer dizer, tudo trocado e eles reclamando da menina. Se eu pudesse ia lá defender a moça, mas não posso, já que o negócio é de família, né? Eu não tenho preconceito, mas é isso que eu tava falando pra senhora: daqui a gente sabe cada coisa! E é cada um como o seu cada qual.

Sem lamber é foda!!!!

Um dia fomos eu e Hedi, uma amiga com A maiúsculo, no show da Ana Carolina. Um espetáculo a parte. Me lembro bem daquele dia, do show... Olha, a cantora tem uma presença de palco, que até ao cantar uma música bem brega- não me lembro o nome, mas era de uma dupla sertaneja (que eu simplesmente detesto!!!) - ela tira um baita sarro e foi realmente muito engraçado e realmente um show. Mas deste espetáculo, lembro principalmente de um texto que Ana Carolina leu no palco, e que achei o máximo. Vai aí.

De Elisa Lucinda - MON ANIMAL
Eu a vejo quase todas as manhãs. Não é exatamente bonita. Aliás ela é de uma feiura estranha como se carregasse uma boniteza espalhada em si, nos gestos e não nos traços exatamente. Não importa.
Importa é que a vejo acompanhada perenemente pelo seu cão. Um pastor alemão com cara de bom companheiro. E o é. Eu vejo. Olha-a muito, encaixa seu focinho entre os joelhos dela, brinca com ela, gane querendo dengo. Ela também, essa minha vizinha de uns quarenta e vividos anos, brinca de não-solidão com esse cachorro específico; gosta dele, ri: Não Duque, assim não, deixa o moço, Duque, me espere. Não vá na minha frente assim, cuidado com o carro, menino. Ele a olha como quem agradece. E vão os dois, não em vão, pelas ruas de Copacabana sob o sol, felizes que só vendo. Eu vejo.
Ela é camelô; nos encontramos no elevador e eu: - Vocês se divertem tanto, é tão bonito.
- É, nos conhecemos na rua. Ele olhou pra mim bem nos meus olhos. Eu estava trabalhando. Vi logo que era um cão bem cuidado fisicamente mas faltava-lhe carinho. Deixei minhas bugigangas (ela vende coisas que querem imitar jóias antigas) por não sei quanto tempo e fiquei agachada na calçada na Avenida Nossa Senhora, só namorando ele. Decidimos que ele viveria comigo. Naturalmente. Tudo aconteceu “naturalmente”, ela frisou, como se quisesse dissipar de mim qualquer sombra de suspeita de um possível roubo.
Noutro dia no mesmo elevador, ela com seu carrinho de balangandãs, eu e Duque. O elevador apertado e ela continuou femininamente a conversa do último elevador nosso: Tenho certeza que ele é de câncer. É muito sensível. Só falta falar. Né Duque? ... ele não é lindo? Eu disse: Lindíssimo. E você que signo é? Ah, sou capricórnio mas com ascendente em câncer, combina sim.
Eu vejo Duque lambendo as mãos dela, as magras mãos cujos dedos ela oferecia de propósito e distraidamente a imordida dele. Eu olho admirando receosa por conta dos afiados dentes dele. Quase não entendo de cães.
- Ah, você tem medo... ô não ofenda ele; Duque entende pensamentos e não gostou do que você pensou. Jamais me morderia, jamais me trairia. Né Duque? Senti o pensamento de Duque latindo que jamais a trairia. Achei bonito. Chegamos. Tchau, bom trabalho. Tchau Duque.
Fui para a rua pensando longamente nos dois. Depois pensei nos mistérios da astrologia e perdi o fio do meu pensamento. Ao final da tarde avistei pela janela Duque e Ângela indo ver o crepúsculo na praia. Depois vi os dois voltando sorridentes e caninos, sob a noite estrelada; ela com fitas de vídeo penduradas ao braço; sempre conversando com ele.
Tenho inveja de Ângela. This is the true. O animal que eu quero não mora comigo, não almoça mais comigo, não brinca mais, não me telefona, não me advinha os pensamentos, não me acompanha ao crepúsculo, não gane querendo dengo, nossos signos parecem não mais combinar. O animal que quero, pensa demais e por isso não passeia mais comigo.
E o pior: Não me lambe mais.

Previna-se!!!!

Esta do Rafinha Bastos é o máximo!!!! Gripe suína é transmitida através de contato íntimo. Previna-se!

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Nem fodendo!!!!

Não poderia deixar de postar aqui esta maravilha que minha amiga Maria Helena me mandou... Com machismo, não tem como ser feliz... Por isto, o bom mesmo é saborear uma boa rã, do que ter que se submeter a um homem que ao invés de uma companheira quer uma empregada doméstica. Como diz a princesa... Nem fodendo!!! Enfim!!!! O máximo!!! Grande Luís Fernando Veríssimo. Um grande homem!

Conto de fadas para mulheres do séc. 21
Era uma vez, numa terra muito distante, uma linda princesa independente e cheia de auto-estima que, enquanto contemplava a natureza e pensava em como o maravilhoso lago do seu castelo estava de acordo com as conformidades ecológicas, se deparou com uma rã.
Então, a rã pulou para o seu colo e disse: Linda princesa, eu já fui um príncipe muito bonito. Mas uma bruxa má lançou-me um encanto e eu transformei- me nesta rã asquerosa.
Um beijo teu, no entanto, há de me transformar de novo num belo príncipe e poderemos casar e constituir um lar feliz no teu lindo castelo. A minha mãe poderia vir morar conosco e tu poderias preparar o meu jantar, lavarias as minhas roupas, criarias os nossos filhos e viveríamos felizes para sempre...
E então, naquela noite, enquanto saboreava pernas de rã à sautée, acompanhadas de um cremoso molho acebolado e de um finíssimo vinho branco, a princesa sorria e pensava:
Nem fo...den...do!
(Luís Fernando Veríssimo)

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Será que só eu não entendi o que ela quer dizer?!!!

Não é por nada não... Mas nestas horas tenho vontade de... sei lá... Olha, o STF há pouco tempo, em desrespeito à sociedade (no recorte abaixo você vai ver se é ou não desrespeito permitir que alguém como esta moça faça parte da categoria. Sim... ela faz parte. Afinal, até entrevistas ela faz!!!!), simplesmente votou contra o diploma de Jornalismo. Gente, uma pérola. Esta moça da entrevista tem programa na TV e olha, acrescenta muito para seu público, assim como várias outras pérolas da programação brasileira. Se já estava assim com a exigência do diploma, depois que nossos queridos ministros aboliram o diploma, imagina como vai ficar!!!!!!!!! Pelo amor de Deus!!!! Cultura já... Pelo menos carga cultural uma pessoa que lida com o público tem que ter... Pior... Se uma pessoa se recusa a fazer faculdade, achando que está dando aquele famoso jeitinho brasileiro (que eu amo!!!!), como vai ter o discernimento de pegar uma boa revista (Brasileiros, Retrato do Brasil, Caros Amigos!!! Isto só para citar algumas) e ler? Como vai pegar um bom livro (nem vou citar... São tantos!!!) e ler? Bem meus companheiros, esta moça do recorte abaixo com certeza lê a revista Nova (será que ela foi alfabetizada?)... Não... Deve ler sim, afinal, ela precisa saber todas as 10 dicas de como agarrar um homem... Ou o que fazer na cama para deixar seu homem louco!!!!!!!!
Vejam abaixo!
Beijo no umbigo pelo lado de dentro a todos

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Tô poeta!!!!!!!!

A poesia da curitibana Alice Ruiz é mesmo intrigante e maravilhosa. Lendo a Revista "Brasileiros", fiquei encantada com esta. Tô poeta né gente?????!!!!! Quem diria, euzinha, tão poeta assim.
Curtam e beijo no pâncreas


"Lembra o tempo que você sentia
E sentir era a forma mais sábia de saber
E você nem sabia?"

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

A benção poetinha!!!!!!!!!

Olha gente, neste início de semana escutei muito o CD da Bethânia "Que falta você me faz", onde ela gravou Vinícius. Ganhei esta preciosidade da minha sempre amiga Juliana... A Ju mala.. Mas que amo muito. Enfim, escutei muito mesmo, e coloquei aqui uma letra de uma maestria fora do comum. Tenho esta gravação também em um CD do próprio Vinícius. Óbvio, me deliciei com as duas versões. Mas chamo a atenção para as estrofes finais.. Uma em que Vinícius declama, e a outra cantada, onde ele diz: "Porque o samba nasceu lá na Bahia; E se hoje ele é branco na poesia; Se hoje ele é branco na poesia; Ele é negro demais no coração."
Não precisa dizer mais nada né gente?
Bjunda

Samba da Benção
Vinícius de Morais

É melhor ser alegre que ser triste
Alegria é a melhor coisa que existe
É assim como a luz no coração

Mas pra fazer um samba com beleza
É preciso um bocado de tristeza
É preciso um bocado de tristeza
Senão, não se faz um samba não

Falado

Senão é como amar uma mulher só linda
E daí? Uma mulher tem que ter
Qualquer coisa além de beleza
Qualquer coisa de triste
Qualquer coisa que chora
Qualquer coisa que sente saudade
Um molejo de amor machucado
Uma beleza que vem da tristeza
De se saber mulher
Feita apenas para amar
Para sofrer pelo seu amor
E pra ser só perdão

Cantado

Fazer samba não é contar piada
E quem faz samba assim não é de nada
O bom samba é uma forma de oração

Porque o samba é a tristeza que balança
E a tristeza tem sempre uma esperança
A tristeza tem sempre uma esperança
De um dia não ser mais triste não

Falado

Feito essa gente que anda por aí
Brincando com a vida
Cuidado, companheiro!
A vida é pra valer
E não se engane não, tem uma só
Duas mesmo que é bom
Ninguém vai me dizer que tem
Sem provar muito bem provado
Com certidão passada em cartório do céu
E assinado embaixo: Deus
E com firma reconhecida!
A vida não é brincadeira, amigo
A vida é arte do encontro
Embora haja tanto desencontro pela vida
Há sempre uma mulher à sua espera
Com os olhos cheios de carinho
E as mãos cheias de perdão
Ponha um pouco de amor na sua vida
Como no seu samba

Cantado

Ponha um pouco de amor numa cadência
E vai ver que ninguém no mundo vence
A beleza que tem um samba, não

Porque o samba nasceu lá na Bahia
E se hoje ele é branco na poesia
Se hoje ele é branco na poesia
Ele é negro demais no coração

Falado

Eu, por exemplo, o capitão do mato
Vinicius de Moraes
Poeta e diplomata
O branco mais preto do Brasil
Na linha direta de Xangô, saravá!
A bênção, Senhora
A maior ialorixá da Bahia
Terra de Caymmi e João Gilberto
A bênção, Pixinguinha
Tu que choraste na flauta
Todas as minhas mágoas de amor
A bênção, Sinhô, a benção, Cartola
A bênção, Ismael Silva
Sua bênção, Heitor dos Prazeres
A bênção, Nelson Cavaquinho
A bênção, Geraldo Pereira
A bênção, meu bom Cyro Monteiro
Você, sobrinho de Nonô
A bênção, Noel, sua bênção, Ary
A bênção, todos os grandes
Sambistas do Brasil
Branco, preto, mulato
Lindo como a pele macia de Oxum
A bênção, maestro Antonio Carlos Jobim
Parceiro e amigo querido
Que já viajaste tantas canções comigo
E ainda há tantas por viajar
A bênção, Carlinhos Lyra
Parceiro cem por cento
Você que une a ação ao sentimento
E ao pensamento
A bênção, a bênção, Baden Powell
Amigo novo, parceiro novo
Que fizeste este samba comigo
A bênção, amigo
A bênção, maestro Moacir Santos
Não és um só, és tantos como
O meu Brasil de todos os santos
Inclusive meu São Sebastião
Saravá! A bênção, que eu vou partir
Eu vou ter que dizer adeus

Cantado

Ponha um pouco de amor numa cadência
E vai ver que ninguém no mundo vence
A beleza que tem um samba, não

Porque o samba nasceu lá na Bahia
E se hoje ele é branco na poesia
Se hoje ele é branco na poesia
Ele é negro demais no coração

terça-feira, 21 de julho de 2009

Lapada na rachada pra criança... Pode?

Este texto que transcrevo abaixo e de Suzy dos Santos. Esta preciosidade faz parte da Revista Mídia com Democracia, nº 7, de fevereiro de 2008 (apesar de uma data distante, a opinião dela é muito atual). Achei que gostariam de compartilhar... Ah, e detalhe gente, na hora da política suja, do "aparecer", não tem religião nem nada... E não é que nesta cena narrada tinha um vereador evangélico (lógico que adepto aos bons costumes) empolgado com a musiquinha!!!!!!... Veja a letra. Eh meu Deus, falso moralismo ontem, hoje e sempre né? Mas o texto vai além disto, e vale a pena... Na realidade fala da comunicação. Ela fala a certa altura do sistema de comunicações no Brasil que privilegia interesses comerciais em prejuízo ao interesse público... É o toma lá da cá da podridão brasileira...
Aqui vai

Pancadas na identidade cultural:
mídia e interesse público

Pancadinha, pancadinha, pancadinha
Ela gosta de tomar pancadinha
Ela gosta de tomar pancadinha
Eu gosto
Cê gosta
Ela gosta
Ele gosta
Toma, gostosa, lapada na rachada
Você pede e eu te dou lapada na rachada
E aí, tá gostoso? Lapada na rachada
Toma, toma, toma
Vaaaaaaaaai, dá tapinha na bundinha
Vai, que eu sou sua cachorrinha
Vai, fi co muito assanhada, se eu pedir você me dá?
Lapada na rachada

Os trechos das canções Pancadinha, gravada por Os Bambaz,
e Lapada na Rachada, gravada por Saia Rodada, servem de trilha
sonora para uma cena instigante: no domingo de Carnaval deste
ano, às 10h, começava o cortejo infantil do Município de Cairu-
BA. Como é tradição na Bahia, os festejos são puxados por um
“trio” elétrico. Na verdade, uma caminhonete com um palco em
cima, um cantor e um teclado. Nas laterais, a foto de um vereador
evangélico (que já foi chefe de gabinete do prefeito de Cairu) e a
frase “Deus é a minha força”. Ao pé da ladeira, vêm as crianças
em insinuantes coreografi as e os refrões do forró nortista adaptados
ao pagode baiano. Atrás delas, adolescentes e adultos. O
refrão ecoa. “Ela gosta de tomar pancadinha”. Segundo o jornal
local Valença Agora, foi a melhor festa já realizada pela prefeitura
em todos os tempos.
O fenômeno não é restrito ao cenário nordestino. Poderia
ser, por exemplo, em Mandaguaçu, no Paraná; Palestina de Goiás;
Santa Rosa dos Purus, no Acre; ou de São Fidelis, no Rio de Janeiro.
Sexualização da infância, estímulo à violência contra a mulher,
uso eleitoreiro de verbas públicas, clientelismo dos meios de comunicação
e estandardização da cultura popular são corriqueiros
no Brasil. Além disso, quem quer saber desses “não-lugares”? Representam
que capacidade de consumo? O que tem nesses “fi ns
de mundo”? Nada. Ou quase nada.
Não tem ONG de proteção da infância nem Delegacia da
Mulher. Não tem TV a cabo. Não tem MMDS. Não tem 3G, WiFi,
ADSL. Nem cinema nem teatro. Não tem TV digital nem triple
play. E o celular não pega direito, e só uma operadora. Cairu tem
uma rádio comunitária com uma média de nove horas diárias de
programação musical de sucessos comerciais, acesso a três canais
de TV aberta, retransmitidos das redes regionais com base em
Valença e um infocentro, que abre de 9h às 16h nos dias úteis.
Cairu é o Brasil. E o Brasil tem um sistema de comunicações
que privilegia interesses comerciais em prejuízo do interesse público.
Assim, pequenos municípios em regiões inóspitas têm pouco
ou nenhum valor para grandes empresas. E é no acesso à informação
e à cultura que se mostra o isolamento da municipalidade
no País. Dos 5.564 municípios brasileiros, 91% não têm sala de
cinema, 95,7% não têm TV por assinatura, 78,2% não têm estações
de rádio AM, 79,1% não têm salas de espetáculos,
69% não têm livrarias nem instituições
de ensino superior, 48,7% não têm estações de
rádio FM.
É, portanto, na música popular e na televisão
aberta que estruturam as dinâmicas da cultura
cotidiana das maiorias, a construção de imaginários
e identidades. Daí vem a parceria entre
o empresariado nacional de radiodifusão e os
líderes políticos locais. A aliança entre afiliada e
Cabeça-de-Rede tanto garante aos líderes políticos
a oferta de programação – e, conseqüentemente,
a audiência – sem despender muitos recursos quanto a
máquina pública atuando em prol dos radiodifusores.
Esse contexto desmitifica as duas mais freqüentes assertivas
dos produtores culturais brasileiros: a primeira é a da liberdade da
escolha. Aquela que propaga em defesa do conteúdo ofensivo ou
de baixa qualidade a premissa de que o “povo” gosta. A reflexão
de que se dá ao povo o que o povo quer não pode ser excluída
da análise das condições que esse povo tem para escolher. Quais
as diferentes opções em serviços de comunicação, informação e
cultura? O cidadão de Cairu que não concorda em estar com seus
filhos “indo até o chão” ao som de “lapada na rachada” pode fazer
o que em seu entretenimento?
Pode apenas ligar a televisão e alternar três canais. O primeiro
transmite um quadro sobre a fé, do vereador apadrinhado pelo
prefeito. O segundo, um programa de auditório no qual crianças
dublam os sucessos do Carnaval 2008. E o terceiro, uma telenovela
na qual a personagem Victória foi sexualmente atacada e seu
amigo a resgata dizendo “como assim não lembra de nada? Não
lembra nem se gostou ou não? Vamos, vamos tomar um banho
para tirar essa nhaca de sufocador!”.
E é na grade da programação de TV aberta que se apresenta
a fragilidade da segunda assertiva, que tem sido adotada na defesa
dos radiodifusores nacionais contra a entrada do capital internacional
no setor: o lugar estratégico da televisão aberta como construtor
e propagador da identidade nacional. As formas como a
mídia comercial brasileira constitui, defi ne e se apropria da cultura
aparecem permeadas por fl agrantes episódios nocivos aos valores
universais da cidadania. Se a cidadania não pode abrir mão da
igualdade entre membros de um mesmo grupo, é imprescindível
à sociedade brasileira: a) garantir o direito de escolha entre as
diversas tecnologias e serviços de acesso à comunicação, à informação
e à cultura; b) garantir a igualdade de condições de
acesso e produção entre as cidades cosmopolitas e as cidades
interioranas; e, por fim, c) garantir mecanismos de proteção do cidadão contra a cristalização de valores culturais contrários à dignidade humana e à eqüidade informativa.

Suzy dos Santos é professora da Escola e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFRJ, coordenadora do Grupo de Pesquisa em Políticas e Economia Política da Informação e da Comunicação, tesoureira do capítulo Brasil da União Latina de Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Ah!!!! Meu poeta!!!


Não precisa dizer nada né???? Basta ler o que ele tem a dizer!
Bjunda

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Pituca com crise de Arrigo!!!!!




Final de semana deu uma saudade de outros tempos... Nada de nostalgia desvairada... Rodeada de lembranças ruins, ou chororô... Aliás, só tenho lembranças excelentes!!! O fato é que me deu saudades de algumas coisas, mas sem melancolia. Saudade da boa cultura, tão distante nos dias de hoje!!!! Bem, mas sem nenhum tipo de loucura devaniada dos áureos tempos, aqui registro duas letras de músicas que amo... E que escutei incansavelmente no domingo. Aliás, o disco todo "A Saga de Clara Crocodilo é demais!!!!!!!!!




Clara Crocodilo
Arrigo Barnabé

São paulo, 31 de dezembro de 1999.
Falta pouco, pouco, muito pouco mesmo para oAno 2000 e você,
ouvinte incauto, que noAconchego de seu lar,
rodeado de seus familiares, desafortunadamente colocou este disco na vitrola,
Você que, agora,
Aguarda ansiosamente o espocar da Champanha
e o retinir das taças, você,
Inimigo mortal da angústia e do desespero, esteja preparado... o pesadelo
Começou.
Sim, eu sei, você vai dizer que é
Sua imaginação, que você andou lendo muito gibi ultimamente,
mas então por que suas mãos tremeram, tremeram, tremeram tanto,
quando você acendeu aquele cigarro...
e por que você ficou tão pálido de repente?
Será tudo isto fruto da sua imaginação?
Não, meu amigo, vá ao banheiro agora,
antes que seja tarde demais,
porque neste mero disco que você comprou num sebo,
esteve aprisionado por mais de 20 anos, o perigoso marginal,
O delinqüente, o facínora, o inimigo público número 1,
Clara Crocodilo...

Quem cala consente, eu não me calo
Não vou morrer nas mãos de um tira
Quem cala, consente, eu desacato
Não vou morrer nas mãos de um rato
Não vou ficar mais neste inferno
Nem vou parar num cemitério
Metralhadora não me atinge
Não vou ficar mais neste ringue

Ei, você que está me ouvindo,
você acha que vai conseguir me agarrar?
pois então, tome...
Já vi que você é perseverante.
Vamos ver se você segura esta...
Meninas, vocês acham que eles querem mais?
Querem sim!
Você, que então é tão espertinho,
vamos ver se você consegue me seguir nesteLabirinto.
Clara Crocodilo fugiu
Clara Crocodilo escapuliu
Vê se tem vergonha na cara
E ajuda clara, seu canalha
Olha o holofote no olho,
Sorte, você não passa de um repolho
Onde andará Clara Crocodilo?
OndeAndará?
Será que ela está roubando algum supermercado?
Será que ela está assaltando algum banco?
Será que ela está atrás da porta de seu quarto,
aguardando o momento oportuno para assassiná-lo com
Os seus entes queridos?
Ou será que ela
Está adormecida em sua mente esperando
A ocasião propícia para despertar e descer
Até seu coração... ouvinte meu,
meu Irmão?

Esta outra é o máximo, principalmente pela época feita... Que humor ácido, visceral e muito atual!!!!!
Orgasmo total
Arrigo Barnabé (também do disco Clara Crocodilo)
Você me falou assim:
Vem, bebe, sirva-se de mim
E a luz se apagou
Então eu senti na pele
Você, seu corpo em febre
Juro que eu nunca imaginei, amor
Tanta sensualidade
Juro que eu nunca imaginei, amor
Tanta eletricidade
Você estava mesmo fatal
E parecia louca
Como um animal
Dizendo aqueles palavrões, gemendo
Pedindo mais, mais
"Até chegarmos ao orgasmo total
Orgasmo total
Trazido pelo reembolso postal"
Não passe ridículo.
Você também pode
Ser feliz como eles.
Basta pedir hoje mesmo
Pela caixa postal 6969, o seu
Exemplar de "O Orgasmo ao Alcance De Todos".
E um feliz orgasmo...

Ah! escutei também Ednardo.... "Arrepare não... Mas enquanto engoma a calça...."
E lá no final o máximo: "Depois, de perder Vilma pra São Paulo, perder Maria Helena pro dentista..."
Valeu!!!!!
Beijo

terça-feira, 14 de julho de 2009

Ronaaaaaaallllllldo!!!!!!!!! Agora viúvo!!!!

Gente, não podia deixar de registrar. Com tanto jogador de futebol casando, como o Robinho... Sendo feliz, etc, etc.... Tem um que, coitado... Ficou viúvo!!!! É o Ronaldo "Fenômeno" (realmente, gordo, feio, chato, mas com muita grana e mulher bonita... Um fenômeno)... Ficou viúvo... Tão novo... Mas vai naquela avenida de novo que você encontra outra "companheira".
Gente, isto é o que chamo de maldade. Mas tá aí meu registro de pesares ao fenomenal Ronaldo.
Beijo a todos

sábado, 4 de julho de 2009

Será que vai faltar garoto na praça!!!!!!!??????


Olha gente... Muita maldade!!!!!!!!! Mas tenho que postar aqui né? Poxa vida... Demais... Tem gente que pensa muito e faz cada bobagem que é o máximo.

Bjunda

Limite-se a cagar ora bolas!!!!!!!!!!!

Gente, isto é demais... Achei um máximo... Aliás, gosto de uma bobagem!!!!! clique aqui

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Agora a campanha fervendo!!!!!!!!




É... Depois do leite derramado não adianta chorar. Mas finalmente a Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas) resolveu agir. Porque este negócio de que a nossa meta é lutar pelo salário, sempre disse que não estava com nada. Tínhamos que ter brigado pelo diploma, volta a repetir....


Sem qualificação, não adianta brigar pelo salário. E é o que vai acontecer... Os patrões venceram, pois não temos mais com brigar pelo tão suado salário, e muito menos por carga horária, etc, etc...


Mas enfim, sem ser repetitiva, e apesar de considerar que a Fenaj não entrou na luta como devia ter entrado, coloquei aqui a Campanha agora desencadeada pela federação, mesmo porque está muito bem bolada e bonita.


Um beijo desta jornalista diplomada (!!!!!!!???????)

domingo, 28 de junho de 2009

Gente... Incrível, Mickael Jackson morreu!!!!!!


Tem que ironizar mesmo né gente? Que o cara foi importante pra cultura pop, que tinha talento, que blá, blá, blá, etc, etc... Todo mundo sabe. Morrer, todo mundo morre um dia. E detalhe, o pior de tudo, é que todo mundo para em torno da morte do cara. Notícias não existem mais. Tanta coisa acontecendo, tantas notícias.... E o jornalismo fica rondando esta notícia. Morreu de overdose... não morreu de overdose... comia criancinha... não comia criancinha. Deixa o cara pra lá... Vamos continuar a vida! Agora... Que o único chocolate que ele comia era o GAROTO.... Pelo menos é o que dizem as más línguas!!! Que sarcasmo!!!!
Olha gente, e mais... O Mickael Jackson devia milhões, e agora tem o lado bom da coisa... Sua família vai poder pagar... Sabe como? Com o dinheiro dos bundões de plantão que nunca gostaram do cara, e agora estão comprando disco. Ele simplesmente triplicou a venda de discos no mundo todo. E aí entra um gênio brasileiro que compôs "A Necrofilia da Arte". Aí sim né gente... Falando de música brasileira vamos falar de verdadeiros gênios. A música foi gravada magistralmente pela Fernanda Takai no CD "Televisão de Cachorro" do Pato Fu. Aí vai a letra... Não dá para não deixar ela registrada depois de tanta idiotice junta.


A Necrofilia da Arte
Gilberto Gil/Rubinho Troll


A necrofilia da arte
Tem adeptos em toda parte
A necrofilia da arte
Traz barato artigos de morte
Se o Lennon morreu, eu amo ele
Se o Marley se foi, eu me flagelo
Elvis não morreu, mas não vivo sem ele
Kurt Cobain se foi, e eu o venero
A necrofilia da arte
Dá meu endereço a quem não gosto
A necrofilia da arte
Faz compreender quem não conheço
Zunfus trunchus que eu nem conhecia
Virou meu star no outro dia


Define bem o que acontece quando uma pessoa morre né gente? Sem esquecer que eles viram santos quando morrem.
Beijo no pâncreas


terça-feira, 23 de junho de 2009

Será que repercute?!!! A Lira Paulistana está de volta!

Olha, que Itamar Assumpção era um gênio... Isto ninguém duvida. Morreu deixando uma vasta obra de arte, em 2003. Agora, foram descobertas composições inéditas dele. Infelizmente, Cássia Eller, que também morreu muito cedo e não nos privilegia mais com sua voz, e que divulgou muitíssimo a obra de Itamar, não poderá fazê-lo agora. Mas Zélia Duncan, outra que sempre gravou Itamar, este gênio, nos consagra os ouvidos com "Duas Namoradas", inédita dele. No dia 13 de setembro, este paulistano completaria 60 anos. Nada mais justo do que lançar seu derradeiro projeto musical "Isso Vai Dar Repercussão". Serão 30 faixas inéditas, distribuidas em dois CD's. Enquanto não podemos ter estes CD's em mãos, vale a pena escutar o novo da Zélia Duncan, Pelo Sabor do Gesto, que inclusive tem esta inédita de Itamar. Zélia traz muitas novidades, e parcerias novas, como Zeca Baleiro, John Ulhoa (Pato Fu), Chico César, dentre outros. Além disto, os produtor do álbum são John Ulhoa e Beto Vilares (mesmo que está à frente da produção dos CD's de Itamar). Tem participações especiais magistrais, de Fernanda Takai (Pato Fu) e Chico César. Vale a pena conferir... Enquanto isto, confira a belíssima letra da música "Duas Namoradas".

Duas namoradas
Itamar Assumpção Alice Ruiz

Tenho duas namoradas
A música e a poesia
Que ocupam minhas noites
Que acabam com meus dias
Uma fala sem parar
A outra nunca desliga
Não consigo separar
Duvido deodó que alguém consiga
Cantar é saber juntar
Melodia, ritmo e harmonia
Se eu tivesse que optar
Não sei qual eu escolheria
Tem vez que o caso é comigo
Tem vez que sou só sentinela
Xifópagas, caso antigo,
Tem vez que é só entre elas
Nenhum instante se deixam
Grudadas pelas costelas
Nenhum segundo me largam
Também eu não largo delas

E só pra matar a saudade de Itamar.... Ouça!!!!!! Clique aqui

segunda-feira, 22 de junho de 2009

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Pedindo licença!!!! Mas sem distinção, tá Anísio?

Peço licença ao Anísio (jornalista de verdade) para postar seu texto aqui. Valeu Anísio. Só não conte comigo para tratar profissionais (?????????) sem diploma com respeito. No resto você acertou.

Fim do diploma: A seleção pelo mercado é um equívoco
É de se lamentar a decisão do Supremo do dia de ontem. A categoria
tem muito a perder porque o fim a da exigência de formação
profissional superior vai precarizar (ainda mais) a profissão e abrir
portas para pressionar as garantias mínimas que temos: jornada
especial, piso regulamentar, entre outros.
Mas perde imensamente a sociedade, por não entender a informação
como uma necessidade social complexa. A visão do “famoso” ministro
Gilmar Mendes é de que jornalista é igual cozinheiro. Não precisa
formação. Sua visão é coerente com as demais posições, onde defende a
nata da sociedade brasileira (incluindo os meios de comunicação). A
sociedade atual na sua visão teria um quadro estável, onde uma elite
eficiente decide os destinos do país. Aos demais cabe obedecer e
trabalhar (com sua eficiência individual) para alcançar esse topo
social.
Neste tipo de sociedade, o jornalista não precisa ter ética,
pensar criticamente, qualificar sua técnica e entender as dinâmicas do
mundo para comunicar. Basta trabalhar conforme está definido em uma
“receita”. O jornalista seria apenas um instrumento a serviço da
empresa e das forças que têm hegemonia na sociedade.
Gostaria de chamar a atenção para dois aspectos. O primeiro com
respeito ao equívoco que alguns colegas estão reagindo diante do caso,
ao argumentar sobre o juízo do “mercado”. Para eles, o mercado é que
vai selecionar quem está na mídia e os bons são os que vão ficar em
evidência. O problema desta situação é sobre o que é “bom” para o
mercado.
Essa mão invisível do capitalismo denominado “mercado” tem um
princípio fundamental, que é dar lucro. Esse princípio sobrepõe aos
demais. O princípio mais imediato do lucro é a exploração do
trabalhador. Ou seja, pagar o mínimo possível pelo máximo de trabalho.
O “jornalista bom” no mercado não é aquele que cumpre bem sua função.
Mas sim aquele que retorna na forma de lucro, expresso na comunicação
pelo “ibope” ou “vendas”.
O “jornalista bom” do mercado necessariamente não precisa ter
ética profissional. O “jornalista bom” do mercado necessariamente não
precisa exercer sua profissão com qualidade, esforço e compromisso
social. Esses valores somente serão incorporados ao “jornalista bom”
do mercado se os valores (junto com o jornalista) propiciar lucro.
Neste sentido, o princípio que vai reger o trabalho jornalístico é
a formação do lucro e não a qualidade no exercício da profissão
jornalística. Na verdade, essa realidade já está expressa na
sociedade. Mas a exigência da formação profissional era mecanismo que
pesava (um pouquinho) em favor da qualidade, o que não quer dizer que
ela garantia isso. Mas o que teremos agora é uma expressão muito mais
forte do mercado. Ou seja, a formação do lucro no exercício da
profissão, custe o que custar.
Um outro tema que merece nossa atenção é nossa indignação com o
resultado da corte maior do país. A indignação é importante e deve ser
feita, espalhada. Mas não podemos transpor o problema para outras
categorias que podem viver a mesma situação. Não é porque não tem
exigência do diploma do jornalista, que devamos lutar pelo fim da
formação profissional de advogados e outros, por exemplo.
É bom lembrar que a OAB foi uma das grandes parceiras da Fenaj na
luta pela exigência do diploma e do projeto de criação do Conselho
Profissional. Aliás, praticamente todos os conselhos profissionais
assinaram manifesto em favor da criação de um conselho dos
jornalistas.
Se nós entendemos que é um retrocesso da sociedade o fim da
exigência profissional para nossa profissão, a sociedade não estaria
melhor sem outros profissionais devidamente formados e com registro
profissional. Eu até acredito que daqui algumas décadas, a sociedade
brasileira poderá voltar atrás na decisão tomada ontem pelo Supremo.
Na verdade, teríamos que dar força para outras categorias criarem a
sua obrigatoriedade da exigência profissional, como os professores,
por exemplo.
No mais, acredito que teremos que tratar os atuais colegas sem
diploma com distinção, sem colocar todos no mesmo caldeirão.
Estabelecer uma leitura crítica e atenção para dialogar com a
sociedade sobre a importância das qualidades que defendemos na
formação profissional, toda vez que ela for colocada na pauta do dia.
E agora, mais do que nunca, participar mais coletivamente das lutas da
categoria.

Anízio Bragança Júnior
jornalista

Tudo o que eu queria dizer

É isto gente, tudo o que eu queria dizer era isto... Parabéns Gislene Martins pela sensibilidade, que em poucas palavras disse tudo sobre a derrubada do diploma de jornalista. Confiram na segunda notinha da coluna Evidências do dia 18 de junho de 2009. Clique aqui.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

E na feira: "Olha uma matéria quentinha, cheia de falta de ética e erros!!!!"

É isto que se tornou a profissão de jornalista!!!!!!! Um ministro do STF que votou contra o diploma de jornalista, lembrando, foram 8 contra e um a favor, disse que "um excelente chefe de cozinha certamente poderá ser formado numa faculdade de culinária, o que não legitima o Estado a exigir que toda e qualquer refeição seja feita por profissional registrado mediante diploma de curso superior nessa área." Ou seja gente, nós fomos comparados a cozinheiros... Nada contra a categoria. Muito pelo contrário... Mas que comparação mais esdrúxula!!!!!!!!!! O que tem a ver cozinha com redação de jornal? O que tem a ver o cu com as calças? E também esta é uma discussão da categoria deles... Não da nossa.
E o que é pior... Apesar de ter votado contra a exigência do diploma, o presidente do STF reconheceu que é necessário frequentar um curso superior com disciplinas técnicas sobre redação e edição, ética e teoria da comunicação porque pode dar ao profissional uma formação sólida para o exercício cotidiano do jornalismo. Nossa!!!! Mas será muito idiota o cara que, sem a exigência do diploma, se dispor a pagar mensalidades exorbitantes do curso de jornalismo. Ora!!! Se ele pode escrever barbaridades em seu texto porque a constituição garante a liberdade de expressão, e ainda, pode faltar com a ética, pois quem não é formado já começa a não cumprir com a ética a partir do momento em que começa a exercer a profissão e passar por cima de jornalistas formados, pra que vai pagar curso? Só se o cara for burro. Senhor ministro... Informação: dinheiro não cai do céu, muito menos para nós, que dependemos de algumas decisões dos senhores.
Ou seja, os caras derrubam o diploma, e aconselham as pessoas a fazerem.. Façam não!!!! Saiam das faculdades, universidades... Pra que fazer jornalismo. Façam outro curso, mesmo porque vocês vão gastar dinheiro e ganhar uma miséria no mercado de trabalho. Eu mesmo me formei há 22 anos, e até hoje não considero que tenha obtido retorno.
Abaixo as faculdades e universidades que não brigam pelo diploma... Que eles fechem seus cursos definitivamente.
Beijos

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Êta política do caralho!!!!

Sempre fui uma pessoa a favor do voto. Seja quem for que esteja na disputa, na minha opinião, sempre existe um que irá fazer coisas melhores, para o povo. Mas ontem, na minha cidade, teve uma votação pela cassação de um vereador, que me deixou decepcionada com o meio político. Tantas já acontecem a nível nacional, estadual, mas no município fica mais próximo de nós. Aqui, tem um vereador, Jorge Ferreira, do PMN, que, segundo algumas funcionárias da Câmara Municipal de Uberaba, além de ele as assediar sexualmente, exigia de uma delas parte do salário, assim como aconteceu com outro servidor. Lorota cá... Lorota lá... E simplesmente, pasmem senhores, em uma Câmara composta somente por homens, conservadores, machistas (tem até roceiro lá!!! É isto mesmo... Fazendeiro e roceiro, é a mesma coisa... Nada na cabeça, e machismo não falta a esta "catiguria") ... o vereador não foi cassado. Conclusão... Sabe... Voto nulo né gente... A política se tornou uma coisa inviável... Talvez nas próximas eleições, esteja pensando diferente, pois sempre confiei e ainda confio em alguns políticos brasileiros. Mas olha, não há dois pesos e duas medidas. É aquela velha história... não aconteceu comigo, vou ficar em cima do muro (estilo PSDB sabe?), ou vou votar contra estas mulheres... Afinal, a culpa sempre é da mulher né? Ela que deu bola, ela que é cafa, ela que isto, ela que aquilo... Afinal, homem tem que colocar seu esperma pra fora... Tem que foder... Então, que vão todos os que pensam desta forma, se foder. Não... Assim: PHÖDDER (com PH, trema no O e dois D's de Toddy). Sugestão... Ao invés de importunar quem não quer dar uma com eles, bate uma. Vai resolver o problema, vai flutuar, ficar mais leve... Afinal, carinho pra este tipo de gente é secundário.
Agora gente... O que tinha de PSDB (leia-se em cima do muro) camuflado na Câmara na hora da votação não tava escrito: os digníssimos parlamentares Almir, Tony Carlos, Lerin, Godoy, Riposatti e Samuel foram os campeões de abstenção. E detalhe: quando não se abstiveram, votaram contra os servidores, ficando favoráveis à permanência do vereador naquela Casa.
É isto... Este é o mundo machista e conservador! Por isto que as coisas nunca caminham bem na nossa sociedade... É estupro, violência, tudo de ruim toma conta da sociedade como erva daninha.
Quem não vai anular, pensa pelo menos antes de votar... Não votem em troca de uma cesta básica; ela acaba. E muito menos em troca de favores depois do candidato ter ganho, pois o mundo dá voltas... Como deu no caso de pessoas de confiança do distinto vereador, que segundo eles, tinham que dar parte do salário ao parlamentar.
Chega também de falação!
Bjunda

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Convivemos com uma maldição... e gostamos!!!

Gente, sou jornalista, e tenho uns textos ótimos para compartilhar com vocês. Um deles é este que é hilário... Vale a pena ler... Destaque para o Datena e Revista Nova (que aliás, é a revista mais machista existente no mercado)...

JORNALISTAS DISTORCEM TUDO...

DIFERENTES MANEIRAS DE CONTAR A MESMA HISTÓRIA

Chapeuzinho Vermelho na imprensa ....

JORNAL NACIONAL
(William Bonner): 'Boa noite.. Uma menina chegou a ser
devorada por um lobo na noite de ontem.'.
(Fátima Bernardes): '.... mas a atuação de um
caçador evitou uma tragédia'..

PROGRAMA DA HEBE
(Hebe Camargo): '... que gracinha gente. Vocês não
vão acreditar, mas essa menina linda aqui foi retirada viva
da barriga de um lobo, não é mesmo?'

BRASIL URGENTE
(Datena): '... onde é que a gente vai parar, cadê as
autoridades? Cadê as autoridades? ! A menina ia para a casa da
vovozinha a pé! Não tem transporte público! Não tem
transporte público!
E foi devorada viva... Um lobo, um lobo safado. Põe na
tela!! Porque eu falo mesmo, não tenho medo de lobo, não tenho medo de lobo, não.'

REVISTA VEJA
Lula sabia das intenções do lobo.

REVISTA CLÁUDIA
Como chegar à casa da vovozinha sem se deixar enganar
pelos lobos no caminho.

REVISTA NOVA
Dez maneiras de levar um lobo à loucura na cama.

O ESTADO DE S. PAULO
Lobo que devorou Chapeuzinho seria filiado ao PT.

O GLOBO
Petrobrás apóia ONG do lenhador ligado ao PT que matou um
lobo para salvar
menor de idade carente.

AGORA
Sangue e tragédia na casa da vovó

REVISTA CARAS
(Ensaio fotográfico com Chapeuzinho na semana seguinte)
Na banheira de hidromassagem, Chapeuzinho fala a CARAS:
'Até ser
devorada,eu não dava valor para muitas coisas da vida..
Hoje sou outra
pessoa'

PLAYBOY
(Ensaio fotográfico no mês seguinte)
Veja o que só o lobo viu.

REVISTA ISTO É
Gravações revelam que lobo foi assessor de político
influente.

G MAGAZINE
(Ensaio fotográfico com lenhador)
Lenhador mostra o machado

SUPER INTERESSANTE
Lobo mau! Mito ou verdade ?

DISCOVERY CHANNEL
Vamos determinar se é possível uma pessoa ser engolida
viva e sobreviver.


O outro texto é este...Todo jornalista se vê nele. Sem dúvida somos isto mesmo.

Maldição do Jornalista
Conta a lenda que, quando Deus liberou para os homens o conhecimento sobre como ser jornalista, determinou que aquele "saber" ficaria restrito a um grupo muito pequeno e selecionado. Mas neste pequeno grupo, onde todos se achavam "semi-deuses", já havia aquele que iria trair as determinações divinas. Então, aconteceu o pior. Deus, bravo com a traição, resolveu fazer valer alguns mandamentos:
1º Não terás vida pessoal, familiar ou sentimental.
2º Não verás teu filho crescer.
3º Não terás feriado, fins de semana ou qualquer outro tipo de folga.
4º Terás gastrite, se tiveres sorte. Se for como os demais, terás úlcera.
5º A pressa será teu único amigo e as suas refeições principais serão os lanches, as pizzas e o China in Box.
6º Teus cabelos ficarão brancos antes do tempo, isso se te sobrarem cabelos.
7º Tua sanidade mental será posta em cheque antes que completes 5 anos de trabalho.
8º Dormir será considerado período de folga, logo, não dormirás.
9º Trabalho será teu assunto preferido; talvez o único.
10º A máquina de café será a tua melhor colega de trabalho, porém, a cafeína não te farás mais efeito.
11º Terás sonhos, com clientes, e não raro, resolverás problemas de trabalho neste período de sono.
12º Exibirás olheiras como troféus de guerra.
13º E o pior: inexplicavelmente, gostarás de tudo isso...

terça-feira, 26 de maio de 2009

Hilário!!!! E o Serra com aquela cara de santo!!!!!

Incrível.... O PSDB é um partido realmente exemplar... Com homens de uma competência... Têm um cuidado com tudo o que fazem.. Uma imagem de celibato (que aliás o Alkimin ganha de todos neste quesito)!!!!! Mas o pior de tudo, é que se esquecem de trabalhar direito. Explico!!!! É que a Secretaria Estadual da Educação de São Paulo (quem é o governador? de que partido?) distribuiu a escolas um livro com conteúdo sexual e palavrões, para ser usado como material de apoio por alunos da terceira série do ensino fundamental. Já imaginou, uma criança de 9 anos, que já convive com o lixo da televisão brasileira, que já ensina merda, ler "Dez na Área, Um na Banheira e Ninguém no Gol"... Putz... Vai usar cada palavrão... O governador José Serra (PSDB) afirmou que houve "falha" na escolha, pois o material é "inadequado para alunos desta idade", e que já determinou o recolhimento da obra.
Olha, vou te contar... A Secretaria me escolhe um livro de quadrinhos, destinado a adultos e adolescentes. Conta pra eles que não é porque trata-se de HQ, que é destinado a crianças... Tem que ter cuidado gente. Principalmente porque vocês nunca erram... Nossa!!!!!!!!!
Só para ter uma ideia, o "Dez na Área, Um na Banheira e Ninguém no Gol" contem 11 histórias em quadrinhos recheadas com expressões como "chupa rola", "cu" e "chupava ela todinha".
Pasmem!!!!!!!! A pasta distribuiu 1.216 exemplares, que seriam usados como material de apoio para a alfabetização dos estudantes, dentro do programa Ler e Escrever, uma das bandeiras (e que bandeira!!!!) do governo na educação. Nesse programa, os estudantes podem usar o material na biblioteca, na aula ou levar para casa. O livro começou a ser entregue na semana passada. Olha, e este não foi o primeiro, vamos falar assim, descuido da Secretaria nesta gestão tão competente. Engraçado que o governo sempre ataca professores, fala da formação deles, mas ao mesmo tempo erra feito, colocando ferramentas de trabalho extremamente frágeis.
Beijos seus "chupa rola"

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Estupro tá liberado

Gente, falar em censura em pleno século XXI, é de foder a biela.... Meus amigos, a novela Poder Paralelo da Rede Record (aquela dos pastores... do "Jesus seja louvado"), tá sofrendo uma censura desmedida, como diz Paloma Duarte, uma das atrizes da trama. Seguinte: uns falam que é porque o Ministério da Justiça liberou a novela para telespectadores de 14 anos acima, outros, por causa dos evangélicos. Bem, seja por que motivo for, é absurdo o que fazem... Pela censura, e pelo falso moralismo. Há bem pouco, teve um bispo excomungão da igreja católica, que simplesmente declarou que o estuprador de uma menina não merecia punição da igreja (coitado), mas que a mãe da menina (que corria risco de morte, diga-se de passagem), e o médico que realizaram o aborto de uma criança concebida por um estupro, estavam excomungados pela igreja. Posteriormente, a dona Benta (aquele líder do Vaticano) fala pra todo mundo transar sem camisinha... Afinal, sexo somente para reprodução. Bem, estas imbecilidades estão se repetindo. Agora, na igreja evangélica. Por incrível que pareça, seguidores ferrenhos da dona Benta.
Voltando à novela, a censura se dá em muitas cenas, mas principalmente nas cenas que envolvem duas atrizes. Uma Paloma Duarte e outra Adriana Garambone. Elas interpretam cenas de lesbianismo, mas de forma sutil, o que descarta qualquer possibilidade de beijo, o que já ocorreu em novelas Globais.
Mas além da questão da censura, como disse anteriormente, me deixa com a pulga atrás da orelha, o falso moralismo. Gostaria de questionar à emissora, ou ao Ministério da Justiça, porque outras cenas não foram também retiradas da trama. Como por exemplo, quando a personagem de Paloma Duarte foi estuprada pelo personagem de Marcelo Serrado. Ora, se você não quer determinada coisa na cama, caracteriza estupro. Ela não queria sexo. Ele simplesmente pratica sexo anal com ela, a força. Isto, é estupro... Uma cena que vi, e fiquei indignada. Outra cena foi do ator principal, o personagem de Gabriel Braga Nunes, que também "pega" a força a personagem de Miriam Freeland. Desolador...
Poxa, para a igreja católica, evangélica, Ministério da Justiça, violência contra mulher pode. Cenas em que elas aparecem humilhadas, sofrendo violência desmedida pode... Mas cenas em que há ternura, como as do lesbianismo, tá errado. Será que o Deus destas pessoas é o mesmo meu???????!!!! Com certeza não. O meu tem dignidade, e tenho certeza que existe... Não tem somente seu nome usado para colocar culpa nas pessoas, e padrões que interessam a esta sociedade podre e machista. Eu uso o nome de Deus com carinho. Para agradecer, rezar e não julgar. Não tenho dúvidas de que o meu Deus gosta de igualdade entre homens e mulheres, e do prazer que podem proporcionar um ao outro. E é a este Deus que agradeço todos os dias.
Colocar as mulheres abaixo de tudo.... Colocar as mulheres como simples coadjuvantes neste mundo é o objetivo destas religiões. Poxa!!!! E que Jesus salve nossas almas. O sangue de Jesus tem poder... E dona Benta ganhou seguidores... Ai Jesuiiiiiiiiiiiiissssssssss!!!!!!!!!! Me proteja
Beijo no umbigo (pelo lado de dentro)

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Êta!!!!!!! Falta tudo nessa cidade... Até culhão!!!!!

Olha, a política aqui em Uberaba é uma coisa louca... O deputado federal, de nome Aelton de Freitas (PR), quando questionado por um jornal local sobre a saída do secretário municipal em Uberaba, senhor João Franco, do PR, falou que "cada um no seu quadrado.". Poxa... Que postura para um deputado... Ele é um bundão mesmo né? E a assessoria dele? Onde tá? Faz uma mediação na fala do indivíduo... Nossa! Ele por acaso estava lembrando aquela musiquinha escrota: "Ado, ado, ado, cada um no seu quadrado..." Gente... Fala pra ele, que é um homem público, pra mediar a língua...
Bem... Mas afinal não foi pra isto que comecei a escrever hoje... É pra falar do bando de cuzão que tem em Uberaba... Por isto que a nossa cultura está entregue às traças. Também, com um deputado federal utilizando o vocabulário do senhor Aelton!!!!!!!!!!
Os artistas de Uberaba realizaram uma manifestação na porta da Fundação Cultural de Uberaba, a fim de protestar contra a nomeação de um advogado (pasmem!!!!!!) para a função de presidente. Foi hilário ler as frases e escutar as colocações dos artistas. Um disse, com todo meu aval, que poxa.. Primeiro foi um dentista, depois um jornalista (que diga-se de passagem, sem cultura alguma para um jornalista), e depois um advogado... Onde querem colocar a cultura em Uberaba. Outro detalhe: falaram com maestria... Não coloque a cultura na politicagem. Concordo!!!!!!!! E muito... Por isto que em Uberaba só se escuta estas duplinhas sertanejas (com voz de frigideira), e estes axés da vida... Cultura aqui passa longe. E o pior, é que estes pobres coitados (tô falando dos artistas de verdade), não têm como sobreviver. E olha que temos muitos artistas bons... Inclusive no teatro, que é minha grande paixão.
E este bando "sem culhão" (vamos fazer um "Movimento dos Sem Culhão"), a que me refiro no título, são as "personalidades" envolvidas com cultura em Uberaba, que não quiseram se manifestar... Vai aí uma perguntinha: será que representante da Academia de Letras do Triângulo Mineiro; ou uma das diretoras do Conservatório Estadual de Música; ou o advogado e acadêmico; ou a historiadora, questionados na matéria; não têm opinião formada ou não têm culhão? Gente, vocês fazem parte desta turma aí. De pessoas com cultura... Poxa, dá para serem um pouco coerentes, e também mais solidários à categoria e se manifestarem?
O que tem demais nisto? Só se, não é só falta de culhão... Ah.... já sei. Estão com a vida ganha né? O povinho que se PHÖDDA (isto mesmo: com PH, dois D's de Toddy e trema no O)!!!!!!!!
Bem, tá aí o desabafo. E viva os artistas uberabenses, que não mereciam isto. E viva a arte! Mas a de verdade; não a que a gente vê por aqui. E gente... mais culhão... não é porque tá com a vida ganha que tem que abandonar os artistas. Não vai faltar cargos a vocês.
Bjunda a todos meus pobres leitores e hoje principalmente aos desprezados artistas de Uberaba

quarta-feira, 20 de maio de 2009

A grandeza de ser mulher

Bem, o título do que escrevo agora, vem de uma matéria que li no Estadão sobre a apresentação de Fernanda Montenegro inicia em São Paulo, sobre Simone Beauvoir, ícone do feminismo. No texto, que leva o título "A filósofa, a atriz e a grandeza de ser mulher", o jornalista que assina a matéria informa sobre o fato de Fernanda Montenegro emprestar o corpo ao monólogo Viver sem Tempos Mortos, que anteriormente não seria um monólogo, mas ela dividiria a cena com o ator Sérgio Britto, que interpretaria o pensador, Jean-Paul Sartre, companheiro de Beauvoir. Como o ator estreou A Última Gravação de Krapp/Ato sem Palavras 1, acabou abandonando o projeto. Fernanda Montenegro brinca que ele ficou nos braços do Beckett e ela, nos de Simone. Só mesmo uma mulher com tamanho senso de humor e tamanha capacidade de interpretação, para trabalhar em um projeto como este.
Bem, mas deixando o monólogo de lado e comentando o que uma mulher como Simone Beauvoir passou, a coloca como uma personagem da história muito corajosa. Apesar de ter um perfil revolucionário, era uma mulher discreta, sentava-se com propriedade, coluna reta e com um turbante, era tratada na França como uma boa puta. Voltando um pouco à matéria, Fernanda Montenegro mata a pau, dizendo que "O importante é evitar um equívoco semântico, em que a palavra ?feminista? possa significar o oposto do machismo, a supremacia da mulher sobre o homem. Simone dizia não esperar que as mulheres tomassem o poder dos homens." Isto se resume bem em uma frase de Beauvoir: "O que quero é que elas destruam a ideia de dominação."
Bem, só mesmo queria registrar que, realmente, a mulher tem uma grandeza.... Que o diga Fernanda Montenegro, Simone Beauvoir, Virgínia Wolff... Para finalizar uma frase da maravilhosa Beauvoir: "Não se nasce mulher, torna-se."
Somos grandes.
Beijos

sexta-feira, 15 de maio de 2009

É preciso ser duro, mas sem perder a ternura, JAMAIS...




Encontrei estas frases e resolvi postá-las, já que me chamaram muito a atenção, e têm uma essência que nem dá para expressar. Grande Che... "É preciso ser duro, mas sem perder a ternura, jamais..." - tenho certeza.




"As tantas rosas que os poderosos matem nunca conseguirão deter a primavera."




"Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros."




"Não nego a necessidade objetiva do estímulo material, mas sou contrário a utilizá-lo como alavanca impulsora fundamental. Porque então ela termina por impor sua própria força às relações entre os homens."




É isto aí. Beijos