quarta-feira, 15 de abril de 2009

Poesia, mesmo na tortura!!!!!

Bem, esta semana que passou viajei um pouco no tempo, ao assistir ao filme "Che O Argentino", por sinal magistral, e com uma fotografia impecável, e também ao ler na revista Retrato do Brasil a matéria de capa "Ditabranda, eu?". Na realidade, a matéria fala sobre a discussão desencadeada pela Folha de São Paulo entre fevereiro e março deste ano sobre o tema. A matéria vale a pena ser lida, pois debate sobre o regime militar brasileiro entre os anos de 1964 e 1985. Acesse www.retratodobrasil.com. Aproveito, depois de ler sobre este tema, e também assistir a um belíssimo filme onde é abordado o momento histórico em que Che, Fidel, Raul, Camilo, e outros revolucionários cubanos invadem a ilha caribenha em 1956 e destronam o ditador Fulgêncio Batista, para lembrar alguns poemas de Alex Polari. Bem, na minha opinião, o primeiro dele, magistral, que diz tudo sobre aquela geração da "ditabranda!!!!!!!" é ""Idílica Estudantil": (pelo menos este primeiro leiam... Vale a pena!!!!)

Nossa geração teve pouco tempo
Começou pelo fim.
Mas foi bela a nossa procura.
Ah! moça, como foi bela a nossa procura
Mesmo com tanta ilusão perdida
quebrada,
Mesmo com tanto caco de sonho onde até hoje a gente se corta.

Outros dois... Pesados!!!!!!! Mas vale a pena.

Trilogia Macabra: I - O Torturador
O torturador difere dos outros por uma patologia singular — ser imprevisível vai da infantilidade total à frieza absoluta. Como vivem recebendo elogios e medalhas como vivem subindo de posto, pouco se importam pelos outros. Obter confissões é uma arte o que vale são os altos propósitos o fim se justifica, mesmo pelos meios mais impróprios. Além de tudo o torturador, agente impessoal que cumpre ordens superiores no cumprimento de suas funções inferiores, não está impedido de ser um pai extremoso de ter certos rasgos e em alguns momentos ser até generoso. Além disso acredita que é macho, nacionalista, que a tortura e a violência são recursos necessários para a preservação de certos valores e se no fundo ele é um mercenário sabe disfarçar bem isso quando ladra. Não se suja de sangue não macera nem marca, (a não ser em casos excepcionais) o corpo de suas vítimas, trabalha em ambientes assépticos com distanciamento crítico — não é um açougueiro, é um técnico — sendo fácil racionalizar que apenas põe a serviço da pátria da civilização e da família uma sofisticada tecnologia da dor que teria de qualquer maneira de ser utilizada contra alguém para o bem de todos.

Trilogia Macabra: III - A Parafernália da Tortura
Nos instrumentos da tortura ainda subsistem, é verdade, alguns resquícios medievais como cavaletes, palmatórias, chicotes que o moderno design não conseguiu ainda amenizar assim como a prepotência, chacotas cacoetes e sorrisos que também não mudaram muito. Mas o restante é funcional polido metálico quase austero algo moderno com linhas arrojadas digno de figurar em um museu do futuro. Portanto, para o pesar dos velhos carrascos nostálgicos, não é necessário mais rodas, trações, fogo lento, azeite fervendo e outras coisas mais nojentas e chocantes. Hoje faz-se sofrer a velha dor de sempre hoje faz-se morrer a velha morte de sempre com muito maior urbanidade, sem precisar corar as pessoas bem educadas, sem proporcionar crises histéricas nas damas da alta sociedade sem arrefecer os instintos desta baixa saciedade.

terça-feira, 7 de abril de 2009

Muita bobagem!!! Oh, e é Dia do Jornalista

Olha gente, se tem uma coisa que eu adoro é de bobagem... Por isto, um dos caras que mais gosto do CQC, é o Rafinha Bastos. Entro no blog dele todos os dias e ontem deparei com uma frase que amei... "Minha vó fica triste com desperdício de comida. Tadinha... toda vez que caga, chora." (made in http//rafinhabastos.zip.net)
Vale a pena acompanhar para ver as bobagens, óbvio, no sentido bom da bobagem... O cara é muito inteligente. Outro que gosto muito é o Danilo Gentilli (também do CQC). Bem, só queria registrar isto que li no blog. Não é só isto tá gente... Tem muita coisa legal. Vale a pena.
Ah!!!! E ia me esquecendo.... Hoje é dia do Jornalista... Quer coisa mais hipócrita que isto? Até hoje discutem se a gente precisa ter diploma ou não. Uau, que coisa né? Não discutem se médico, advogado, dentista, precisa ou não de diploma.. Querem avacalhar com a nossa profissão mesmo. Por isto que tem neguinho por ai que não tem formação nem mesmo cultural, e se coloca no mercado como jornalista, e só escreve merda, colocando nossa profissão na lama. Olha, já fiz de tudo nesta profissão que amo. Mas nunca vi tanta merda junta em um jornal que trabalhei, e quando faltava a revisora eu estava lá e acabava revisando este jornal (tinha mais pessoa sem formação do que jornalistas de fato. Inclusive, o dono do jornal. Mas precisava comer né?). Bem, um belo dia, uma destas figuras "jornalistas" (de peso), me escreve em um texto, que: "naquele estante.... " Ficou um pouco sem sentido e eu pensava: "Não tô entendendo... Será que a inteligência dele ultrapassa, e os meus neurônios (o tico e o teco) não conseguem digerir?" Não gente, eu não estava ficando louca... Eu simplesmente estava lidando com o texto de um destes "jornalistas" de merda, que acham que qualquer um pode escrever um bom texto. Vocês sabem o que ele queria escrever? Naquele INSTANTE. Pasmem!!!!!!! Estante e instante pra ele dá no mesmo. Pode?????
Bem, só uma das passagens destas pessoas que denigrem a imagem de nossa profissão, e que aí todo mundo vem dizer que jornalista é uma merda... Não né gente... Eles são uns merdas, e o Supremo Tribunal Federal é outra merda, que fica adiando a discussão.
É isto, beijo no umbigo pelo lado de dentro a todos. Ah! tem uma coisa boa neste dia... O aniversário de uma amiga jornalista de fato... Por formação e competência. Parabéns Hedi.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Ufa... Que pressa!!!!!!


Fotos: do lado esquerdo a mãe, as tias corujas e a primeira mamada da Manuella, e do lado direito, o pai coruja com o irmão coruja




Ela chegou com tudo. Linda e formosa, às 8h32, do dia 4 de abril. E não é que a Manuella veio ao mundo mais que depressa? Meu povo... Ela nasceu na entrada da sala de parto do hospital, ainda na maca. Pode? Menina apressada. Linda.... Branquinha, como eu quando vim ao mundo. Também fui tão rápida quanto ela, pelo que minha mãe contava. Mas ela é recordista. Cabelo branco de tão louro. Agora é aguardar para ver. Eu nasci assim também, com cabelo branco de tão louro, e depois escureceu. Pelo menos não sou loura burra né????????? Espero que ela continue linda e cresça com muita, mas muita saúde. E ser for loura burra vai fazer o que né? Que ela seja especial sempre. Bem vinda ao mundo Manú... Te amamos.