terça-feira, 27 de outubro de 2009

Tudo o que eu queria dizer!!!!

Gente, estive no final de semana, especificamente dias 24 e 25 de novembro em Brasília (DF), participando do Encontro das Coordenações e dos Profissionais de Comunicação das Entidades de Base, promovido pela Fasubra Sindical. Foi de extrema valia, apesar de muitas das discussões ficarem em torno do que todos nós, profissionais da comunicação já sabemos. Umas destas coisas é a falta de valor da nossa profissão. Bem, mas esta é outra história, que não vale a pena ficar repetindo. Dentre inúmeros aprendizados, destaco a palestra de Vito Giannotti, "Comunicação como instrumento da Disputa de Classe". Ele discorreu ainda sobre o assunto Mídia Impressa, mas a que mais me chamou a atenção foi com certeza a primeira. Ele disse tudo o que sempre considerei uma baita putaria da mídia burguesa, como nos sindicatos se refere à Rede Globo, Veja, etc, etc, etc...
Pra começar ele colocou um capítulo da novela "Páginas da Vida" que foi refeito pelo autor. Pasmem!!!!! Um custo enorme para ser feito isto, mas a emissora do senhor Roberto Marinho estava disposta a manipular as pessoas, como é corriqueiro. Trata-se do capítulo posterior à morte de uma criança que foi arrastada por alguns quilômetros por bandidos que assaltaram o carro em que ela estava. Na manchete do Jornal O Globo estava estampado: "Barbárie contra a Infância", e este periódico foi aberto por três freirinhas, personagens da novela, mostrando ao público. De fundo, escutava as vozes frisando que era uma barbárie, uma barbárie, uma barbárie. Assim como considera Vito em seu comentário durante o evento, eu também tenho a mesma opinião. Realmente, foi uma barbárie. Longe de mim defender um bandido que arrastou uma criança por quilômetros e a matou!!!! Aliás, um ato terrível.
Mas o que foi colocado durante o evento, e que assino embaixo, foi o fato de que a Rede Globo muda o capítulo de uma novela, para instigar a população contra uma classe social. Naquele caso, contra os favelados, que, para aquela emissora, não passam de bandidos. Isto eles deixam claro sempre. Mas a Rede Globo, não muda o capítulo, quando alguns jovens da sociedade "abastada" de Brasília resolveram se divertir e puseram fogo no índio Galdino? Era o Dia do Índio. Quatro rapazes brancos, filhos de desembargador, de juiz, promotor, deputado, todos bem nascidos, bem criados, saíram para comprar álcool, cobriram-no de álcool e o incendiaram. Isto é que Vito questiona, e óbvio, eu também. O Globo colocou alguma manchete tipo a do garoto? A Globo colocou quantas freirinhas rezando o pai-nosso em cena? Quando a polícia mata moradores, no Complexo do Alemão no Rio de Janeiro?
Agora, a melhor parte foi quando ele (Vito) citou os 21 moradores de Queimados, que foram chacinados para vingar um policial morto pelo tráfico. Diga-se de passagem, dessas, apenas duas tinham alguma passagem pela polícia. Ele questiona porque o Globo não colocou “barbárie” na sua manchete, e as freirinhas rezando. "Se para a criança morta foram 3, para os 21 de Queimados deveriam ser 21 X 3 = 63. Tinha que colocar o convento inteiro rezando o Pai Nosso e a Ave Maria", comentou.
Mas enfim, "brincadeiras com seriedade" a parte, por que nossa mídia incentiva tanto a população a se voltar contra a população pobre, favelada, negra.... contra a mulher, o homossexual???!!!!! Por que não há dois pesos e duas medidas?
Uma situação recente aconteceu com o rapaz do AfroReggae que foi assaltado e morto. Assistindo ao Jornal Hoje, a matéria mostrava o possível assassino e ladrão... Mas esqueceram de mostrar que teve um policial que passou pelo corpo no chão, omitiu socorro e ainda "pegou" a blusa da vítima. Ou seja, isto foi mostrado em um primeiro momento, como os outros casos, mas agora já cai no esquecimento. Só o favelado tem culpa!!!
É isto gente. Queria escrever mais sobre o encontro, mas preferi dar preferência para um assunto que considero de suma importância na nossa sociedade. As pessoas precisam ter consciência, e parar de ir atrás dos Marinhos, Frias, etc, etc, etc, da vida...
Bjunda

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

"E eu não tenho pátria e quero frátria!!!"

Encontrei o Clube Caiubi de Compositores. Por isto estou sumida, pois estou me deliciando... Nossa!!! Demais. Só música de altíssima qualidade. Aí, fico escutando o dia todo. Para não passar em branco... Vai aí uma letrinha de música que amo, e traz muitas coisas boas... Uma reflexão!!!! Letra maravilhosa, e música cantada por dois monstros da MPB, Caetano e Elza Soares. Aliás, vale a pena escutar por causa dela. A benção minha nêga...

Língua
Caetano Veloso
Gosto de sentir a minha língua roçar a língua de Luís de Camões
Gosto de ser e de estar
E quero me dedicar a criar confusões de prosódia
E uma profusão de paródias
Que encurtem dores
E furtem cores como camaleões
Gosto do Pessoa na pessoa
Da rosa no Rosa
E sei que a poesia está para a prosa
Assim como o amor está para a amizade
E quem há de negar que esta lhe é superior?
E quem há de negar que esta lhe é superior?
E deixe os Portugais morrerem à míngua
“Minha pátria é minha língua”
Fala Mangueira! Fala!
Flor do Lácio Sambódromo
Lusamérica latim em pó
O que quer
O que pode esta língua?
Vamos atentar para a sintaxe dos paulistas
E o falso inglês relax dos surfistas
Sejamos imperialistas! Cadê?
Sejamos imperialistas!
Vamos na velô da dicção choo-choo de Carmem Miranda
E que o Chico Buarque de Holanda nos resgate
E – xeque-mate – explique-nos Luanda
Ouçamos com atenção os deles e os delas da TV Globo
Sejamos o lobo do lobo do homem
Lobo do lobo do lobo do homem
Adoro nomes
Nomes em ã
De coisas como rã e ímã
Ímã ímã ímã ímã ímã ímã ímã ímã
Nomes de nomes
Como Scarlet Moon de Chevalier, Glauco Mattoso e Arrigo Barnabé
e Maria da Fé e Arrigo Barnabé
Flor do Lácio Sambódromo
Lusamérica latim em pó
O que quer
O que pode esta língua?
Se você tem uma idéia incrível é melhor fazer uma canção
Está provado que só é possível filosofar em alemão
Se você tem uma idéia incrível é melhor fazer uma canção
Está provado que só é possível filosofar em alemão
Blitz quer dizer corisco
Hollywood quer dizer Azevedo
E o Recôncavo, e o Recôncavo, e o Recôncavo meu medo
A língua é minha pátria
E eu não tenho pátria, tenho mátria
E quero frátria
A língua é minha pátria
E eu não tenho pátria, tenho mátria
E quero frátria
Poesia concreta, prosa caótica
Ótica futura
Samba-rap, chic-left com banana
(– Será que ele está no Pão de Açúcar?– Tá craude brô– Você e tu– Lhe amo– Qué queu te faço, nego?– Bote ligeiro!– Ma’de brinquinho, Ricardo!? Teu tio vai ficar desesperado!– Ó Tavinho, põe camisola pra dentro, assim mais pareces um espantalho!– I like to spend some time in Mozambique– Arigatô, arigatô!)
Nós canto-falamos como quem inveja negros
Que sofrem horrores no Gueto do Harlem
Livros, discos, vídeos à mancheia
E deixa que digam, que pensem, que falem.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

É... Ela é ruim mesmo... bom é quem chora!!!!!

Vejam o perfil desta moça. Peguei no blog dela (aliás, peço licença), e como não consigo fazer um comentário, pois deve estar bloqueado por causa do programa Ídolos, o coloquei aqui para transferi-lo posteriormente para o blog dela, com meu comentário. Vejam:

Dani Morais
BH, MG, Brazil
A paixão pela música começou na infância, aprendendo os primeiros acordes com tios e primos. Sua família acreditava que era uma fase. Não era. A filha de PEDRA AZUL, do VALE DO JEQUITINHONHA, tem música no sangue, pulsando na sua voz, marcando seu destino. Aos 17 anos ingressou na Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES), no curso de Artes, com ênfase em Música. Em 2006 graduou-se em canto lírico, incluindo-se entre 60 cantores do norte mineiro que buscavam aperfeiçoamento e profissionalização, através de aulas de canto ministradas pela professora Babaya. Alcançando destaque, foi escolhida para fazer parte de um novo projeto da empresa Vallée, a gravação de um cd, chamado "Outra Manhã", com reeleituras da obra do renomado compositor Beto Guedes, com o seu parceiro de projeto Alan Patrick. Migrou para a capital, colheu e colhe aplausos na noite e se integrou à equipe de professores da Babaya Escola de Canto. Dani Morais, timbrando forte, interpretando do seu jeito a musicalidade da sua gente, desponta promissora no cenário musical.


Pois é gente, este é o perfil da moça, que já ganhou a implicância de um "renomado" produtor musical... Nossa, o moço.... este renomado produtor musical, falou um dia no programa Ídolos, da TV Record, que a voz mais linda do mundo é a do Zezé de Camargo (daquela dupla que chora pra cantar e tem aquela voz esgarniçada, de frigideira... Lembram?!!!!). Olha, acho que ele nunca deve ter escutado a voz do Zé Renato (Boca Livre e também com carreira solo). Aliás, a mais afinada voz masculina que já ouvi. Bem... Mas não fugindo do assunto. Ontem, dia 13 de outubro, terça-feira, no programa que ele é jurado, a magistral e, a partir de agora, fundamental para os meus ouvidos, Dani Morais (esta do currículo ruim aí de cima - bons são aqueles caras que ele gosta que não tem um pingo de cultura, nem musical, e nem outro tipo qualquer), cantou na audição do Ídolos a música "Pagu", de Zélia Duncan e Rita Lee. O cara faz o seguinte comentário:
"No meu gosto, essa música 'tá' numa linha muito fina entre o agressivo e o mau gosto." É, pra quem gosta daqueles caras, a Rita Lee e a Zélia devem se sentir lisonjeadas com o comentário. Afinal, é muito cara de pau criticar estas duas... mas vindo de quem gosta do que gosta.... Insignificante.
O pior é que Dani se deu ao trabalho de responder: "Eu aceito plenamente a sua opinião. Mas o Brasil é muito grande e eu tenho certeza que 'Pagu' é uma música bacana e representa a mulher."
Aí ele responde: "Como o Brasil é muito grande também sabe do que eu 'tô' falando e tem muita gente que não deve ter gostado."
Com certeza senhor da verdade!!!! O Brasil é muito grande, muita gente tem a sua opinião. Por isto que estes caras (voz de frigideira) estão ricos. O povo gosta é disso mesmo. De lixo!!! E por isto, quem vai acabar ganhando este Ídolos, não será ela, e nem o Diego Morais... Outro que os meus ouvidos merecem. Vai ser com certeza o pior deles que é um que canta sertanojo... que o público a que se referiu o nobre produtor fala. Bem... Mas acredito nas pessoas de bom gosto ainda. E sei que muita, mas muita gente mesmo, gostou do que ouviu, e ouve em qualquer voz, a música Pagu... Uma obra de arte!!! Salve Zélia! Salve Rita!!!
Ah... E por falar em Diego Morais, que escolheu outra de Rita, "Alô, Alô Marciano", e deu um show a parte, também recebeu crítica do produtor. "Você tem realmente um nível e uma técnica muito apurados. Eu acho que se você escolhesse uma música melhor pra tua voz você pode ir melhor." É, afinal de contas ele não escolheu Entre Tapas e Beijos (música séria, que não tem baixaria, e que a gente tem que pensar muito pra entender, de tão cultural), ou outra qualquer do repertório tão querido pelo produtor... Graças a Deus. Diego, Dani.... continuem tendo bom gosto tá????!!!! Pelo amor de Deus. Meus ouvidos necessitam de músicos como vocês.
Beijo no pâncreas