quarta-feira, 29 de setembro de 2010

É lindo!!! E o melhor... faz pensar!!!




Acima, atores que apresentaram a peça no Festival de Varginha em 2009


Um Grito Parado No Ar

Toquinho / Gianfrancesco Guarnieri

Quem souber de alguma coisa

Venha logo me avisar.

Sei que há um céu sobre essa chuva

E um grito parado no ar.

Um Grito Parado no Ar foi título de uma peça teatral nos anos 70, que fala da dificuldade que artistas atravessaram na época da ditadura militar no país. O texto de Gianfrancesco Guarnieri, vinculado ao teatro de resistência, foi produzido na ocasião por Martha Overbeck e Othon Bastos, em encenação de Fernando Peixoto. Foi um dos primeiros espetáculos que conseguiu furar o cerco da Censura em plena ditadura, por meio de uma linguagem metafórica, que revela o inconformismo e a rebeldia característicos do período. Até hoje esta peça é apresentada por todo o Brasil em Festivais de Teatro.


Um mestre...

Guarnieri afirmava ainda que, “para chegar ao povo, não é necessária uma nova arte no teatro brasileiro, mas sim uma nova cultura.”

Não me pergunte porque lembrei hoje do Guarnieri... Acho que saudade de ver uma boa peça teatral, e também (talvez) porque estava lendo um livro estes dias sobre os tempos da ditadura militar... Lembrei também do livro que li há muitos anos “Eles não usam black-tie”, de autoria dele.

Eles não usam black-tie reporta à favela carioca, dos anos 50, e tem como tema a greve, e ao lado da greve a peça tem como pano de fundo um debate sobre as grandes verdades eternas, reflexões universais sobre a nossa frágil condição humana; o homem e seus conflitos. A tônica dramática do texto fica por conta do choque entre pai e filho com posições ideológicas e morais completamente opostas e divergentes. Um conflito que se estende a assembleias e piquetes.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Em tempos de eleição... Um texto inteligente, sem baixarias!!!

Este texto é maravilhoso. Retrata muito bem tudo o que penso. Texto magistral. Mas a pergunta do título tem uma resposta clara, pois se elegermos a Dilma Roussef, sei que o Brasil está nas mãos de uma mulher extremamente competente, assim como Lula. Sei que ficaremos bem. Muito bem!!! O jornal britânico The Independent afirmou em reportagem que ela se prepara para ser “a mulher mais poderosa do mundo” e “uma líder extraordinária.” Logo abaixo deste texto coloco a matéria do The Independent traduzida por Katarina Peixoto. Que venha a Dilma!!!!

E AGORA COMO FICAMOS?

Pedro Lima

(Economista e Professor da UFRJ)


Lula, que não entende de sociologia, levou 32 milhões de miseráveis e pobres à condição de consumidores; e que também não entende de economia; pagou as contas de FHC, zerou a dívida com o FMI e ainda empresta algum aos ricos.

Lula, o analfabeto, que não entende de educação, criou mais escolas e universidades que seus antecessores juntos [14 universidades públicas e estendeu mais de 40 campi], e ainda criou o PRÓ-UNI, que leva o filho do pobre à universidade [meio milhão de bolsas para pobres em escolas particulares].

Lula, que não entende de finanças nem de contas públicas, elevou o salário mínimo de 64 para mais de 291 dólares [valores de janeiro de 2010], e não quebrou a previdência como queria FHC.

Lula, que não entende de psicologia, levantou o moral da nação e disse que o Brasil está melhor que o mundo. Embora o PIG-Partido da Imprensa Golpista, que entende de tudo, diga que não.

Lula, que não entende de engenharia, nem de mecânica, nem de nada, reabilitou o Proálcool, acreditou no biodiesel e levou o país à liderança mundial de combustíveis renováveis [maior programa de energia alternativa ao petróleo do planeta].

Lula, que não entende de política, mudou os paradigmas mundiais e colocou o Brasil na liderança dos países emergentes, passou a ser respeitado e enterrou o G-8 [criou o G-20].

Lula, que não entende de política externa nem de conciliação, pois foi sindicalista brucutu; mandou às favas a ALCA, olhou para os parceiros do sul, especialmente para os vizinhos da América Latina, onde exerce liderança absoluta sem ser imperialista. Tem fácil trânsito junto a Chaves, Fidel, Obama, Evo etc. Bobo que é, cedeu a tudo e a todos.

Lula, que não entende de mulher nem de negro, colocou o primeiro negro no Supremo (desmoralizado por brancos) uma mulher no cargo de primeira ministra, e que pode inclusive, fazê-la sua sucessora.

Lula, que não entende de etiqueta, sentou ao lado da rainha (a convite dela) e afrontou nossa fidalguia branca de lentes azuis.

Lula, que não entende de desenvolvimento, nunca ouviu falar de Keynes, criou o PAC; antes mesmo que o mundo inteiro dissesse que é hora de o Estado investir; hoje o PAC é um amortecedor da crise.

Lula, que não entende de crise, mandou baixar o IPI e levou a
indústria automobilística a bater recorde no trimestre [como também na linha branca de eletrodomésticos].

Lula, que não entende de português nem de outra língua, tem fluência entre os líderes mundiais; é respeitado e citado entre as pessoas mais poderosas e influentes no mundo atual [o melhor do mundo para o Le Monde, Times, News Week, Financial Times e outros...].

Lula, que não entende de respeito a seus pares, pois é um brucutu, já tinha empatia e relação direta com George Bush -
notada até pela imprensa americana - e agora tem a mesma empatia com Barack Obama.

Lula, que não entende nada de sindicato, pois era apenas um agitador; é amigo do tal John Sweeny [presidente da AFL-CIO - American Federation Labor-Central Industrial Congres - a central de trabalhadores dos Estados Unidos, que lá sim, é única...] e entra na Casa Branca com credencial de negociador e fala direto com o Tio Sam lá, nos "States".

Lula, que não entende de geografia, pois não sabe interpretar um mapa é autor da [maior] mudança geopolítica das Américas [na história].

Lula, que não entende nada de diplomacia internacional, pois nunca estará preparado, age com sabedoria em todas as frentes e se torna interlocutor universal.
Lula, que não entende nada de história, pois é apenas um locutor de bravatas; faz história e será lembrado por um grande legado, dentro e fora do Brasil.

Lula, que não entende nada de conflitos armados nem de guerra, pois é um pacifista ingênuo, já é cotado pelos palestinos para dialogar com Israel.

Lula, que não entende nada de nada; é bem melhor que todos os outros...!

Pedro Lima *

Economista e professor de economia da UFRJ



O jornal The Independent destacou na edição de domingo, dia 26 de setembro, que o Brasil se prepara para eleger no próximo final de semana a “mulher mais poderosa do mundo” e “uma líder extraordinária”. As pesquisas mostram que ela construiu uma posição inexpugnável – de mais de 50%, comparado com menos de 30% – sobre o seu rival mais próximo, homem enfadonho de centro, chamado José Serra. Jornal também afirma que candidata tem sofrido ataques em uma campanha impiedosa de degradação patrocinada pela mídia brasileira.



Hugh O’Shaughnessy – The Independent

A mulher mais poderosa do mundo começará a andar com as próprias pernas no próximo fim de semana. Forte e vigorosa aos 63 anos, essa ex-líder da resistência a uma ditadura militar (que a torturou) se prepara para conquistar o seu lugar como presidenta do Brasil.

Como Chefe de Estado, a presidenta Dilma Rousseff irá se tornar mais poderosa que a Chanceler da Alemanha, Angela Merkel e que a Secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton. Seu país enorme de 200 milhões de pessoas está comemorando seu novo tesouro petrolífero. A taxa de crescimento do Brasil, rivalizando com a China, é algo que a Europa e Washington podem apenas invejar.

Sua ampla vitória prevista para a próxima eleição presidencial será comemorada com encantamento por milhões. Marca a demolição final do “estado de segurança nacional”, um arranjo que os governos conservadores, nos EUA e na Europa uma vez tomaram como seu melhor artifício para limitar a democracia e a reforma. Ele sustenta um status quo corrompido que mantém a imensa maioria na pobreza na América Latina, enquanto favorece seus amigos ricos.

A senhora Rousseff, a filha de um imigrante búlgaro no Brasil e de sua esposa, professora primária, foi beneficiada por ser, de fato, a primeira ministra do imensamente popular presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ex-líder sindical. Mas com uma história de determinação e sucesso (que inclui ter se curado de um câncer linfático), essa companheira, mãe e avó será mulher por si mesma. As pesquisas mostram que ela construiu uma posição inexpugnável – de mais de 50%, comparado com menos de 30% – sobre o seu rival mais próximo, homem enfadonho de centro, chamado José Serra. Há pouca dúvida de que ela estará instalada no Palácio Presidencial Alvorada de Brasília, em janeiro.

Assim como o presidente Jose Mujica do Uruguai, vizinho do Brasil, a senhora Rousseff não se constrange com um passado numa guerrilha urbana, que incluiu o combate a generais e um tempo na cadeia como prisioneira política.

Quando menina, na provinciana cidade de Belo Horizonte, ela diz que sonhava respectivamente em se tornar bailarina, bombeira e uma artista de trapézio. As freiras de sua escola levavam suas turmas para as áreas pobres para mostrá-las a grande desigualdade entre a minoria de classe média e a vasta maioria de pobres. Ela lembra que quando um menino pobre de olhos tristes chegou à porta da casa de sua família ela rasgou uma nota de dinheiro pela metade e dividiu com ele, sem saber que metade de uma nota não tinha valor.

Seu pai, Pedro, morreu quando ela tinha 14 anos, mas a essas alturas ele já tinha apresentado a Dilma os romances de Zola e Dostoiévski. Depois disso, ela e seus irmãos tiveram de batalhar duro com sua mãe para alcançar seus objetivos. Aos 16 anos ela estava na POLOP (Política Operária), um grupo organizado por fora do tradicional Partido Comunista Brasileiro que buscava trazer o socialismo para quem pouco sabia a seu respeito.

Os generais tomaram o poder em 1964 e instauraram um reino de terror para defender o que chamaram “segurança nacional”. Ela se juntou aos grupos radicais secretos que não viam nada de errado em pegar em armas para combater um regime militar ilegítimo. Além de agradarem aos ricos e esmagar sindicatos e classes baixas, os generais censuraram a imprensa, proibindo editores de deixarem espaços vazios nos jornais para mostrar onde as notícias tinham sido suprimidas.

A senhora Rousseff terminou na clandestina VAR-Palmares (Vanguarda Armada Revolucionária Palmares). Nos anos 60 e 70, os membros dessas organizações sequestravam diplomatas estrangeiros para resgatar prisioneiros: um embaixador dos EUA foi trocado por uma dúzia de prisioneiros políticos; um embaixador alemão foi trocado por 40 militantes; um representante suíço, trocado por 70. Eles também balearam torturadores especialistas estrangeiros enviados para treinar os esquadrões da morte dos generais. Embora diga que nunca usou armas, ela chegou a ser capturada e torturada pela polícia secreta na equivalente brasileira de Abu Ghraib, o presídio Tiradentes, em São Paulo. Ela recebeu uma sentença de 25 meses por “subversão” e foi libertada depois de três anos. Hoje ela confessa abertamente ter “querido mudar o mundo”.

Em 1973 ela se mudou para o próspero estado do sul, o Rio Grande do Sul, onde seu segundo marido, um advogado, estava terminando de cumprir sua pena como prisioneiro político (seu primeiro casamento com um jovem militante de esquerda, Claudio Galeno, não sobreviveu às tensões de duas pessoas na correria, em cidades diferentes). Ela voltou à universidade, começou a trabalhar para o governo do estado em 1975, e teve uma filha, Paula.

Em 1986 ela foi nomeada secretária de finanças da cidade de Porto Alegre, a capital do estado, onde seus talentos políticos começaram a florescer. Os anos 1990 foram anos de bons ventos para ela. Em 1993 ela foi nomeada secretária de minas e energia do estado, e impulsionou amplamente o aumento da produção de energia, assegurando que o estado enfrentasse o racionamento de energia de que o resto do país padeceu.

Ela tinha mil quilômetros de novas linhas de energia elétrica, novas barragens e estações de energia térmica construídas, enquanto persuadia os cidadãos a desligarem as luzes sempre que pudessem. Sua estrela política começou a brilhar muito. Mas em 1994, depois de 24 anos juntos, ela se separou do Senhor Araújo, aparentemente de maneira amigável. Ao mesmo tempo ela se voltou à vida acadêmica e política, mas sua tentativa de concluir o doutorado em ciências sociais fracassou em 1998.

Em 2000 ela adquiriu seu espaço com Lula e seu Partido dos Trabalhadores, que se volta sucessivamente para a combinação de crescimento econômico com o ataque à pobreza. Os dois se deram bem imediatamente e ela se tornou sua primeira ministra de energia em 2003. Dois anos depois ele a tornou chefe da casa civil e desde então passou a apostar nela para a sua sucessão. Ela estava ao lado de Lula quando o Brasil encontrou uma vasta camada de petróleo, ajudando o líder que muitos da mídia européia e estadunidense denunciaram uma década atrás como um militante da extrema esquerda a retirar 24 milhões de brasileiros da pobreza. Lula estava com ela em abril do ano passado quando foi diagnosticada com um câncer linfático, uma condição declarada sob controle há um ano. Denúncias recentes de irregularidades financeiras entre membros de sua equipe quando estava no governo não parecem ter abalado a popularidade da candidata.

A senhora Rousseff provavelmente convidará o presidente Mujica do Uruguai para sua posse no Ano Novo. O presidente Evo Morales, da Bolívia, o presidente Hugo Chávez, da Venezuela e o presidente Lugo, do Paraguai – outros líderes bem sucedidos da América do Sul que, como ela, têm sofrido ataques de campanhas impiedosas de degradação na mídia ocidental – certamente também estarão lá. Será uma celebração da decência política – e do feminismo.

Tradução: Katarina Peixoto

Citado do site Carta Maior, http://www.cartamaior.com.br/



Feliz aniversário!!!!



Valentina no dia que chegou (não sabíamos o que fazer!!!!????), com 45 dias, e hoje em dia (no adestramento de sábado)


No sábado, dia 25 de setembro, a Valentina completou um ano de vida. Há um ano, nem desconfiava que ela tava nascendo, já que veio aqui pra casa no dia 29 de outubro, já que descobrimos esta formosura dois dias antes. Somos loucas por ela!!!! No sábado, o presente dela foi mais uma aula com o André, seu adestrador... Aliás, mais nosso adestrador do que dela. Hoje, ela é uma cachorra mais calma, graças a ele, que por sinal, ela é apaixonada!!!!!
Tenho uma família linda!!!
Que complete muitos anos de vida ao nosso lado!!!!

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Falou bobagem!!!!



Depois de ser “perdoado” pelo padre Marcelo Rossi, Danilo Gentili foi envolvido em mais uma polêmica. Olha, tudo o que penso sobre termos politicamente corretos, preconceito, etc, etc, está nesta resposta do humorista à ONG Afrobras. Leiam!!! Isto é tudo o que sempre falei e reitero tudo o que Gentili disse.

Danilo Gentili (CQC) e sua resposta:

O humorista Danilo Gentili postou a seguinte piada no seu twitter:
"King Kong, um macaco que, depois que vai para a cidade e fica famoso, pega uma loira. Quem ele acha que é? Jogador de futebol?"

A ONG Afrobras se posicionou contra: "Nos próximos dias devemos fazer uma carta de repúdio. Estamos avaliando ainda uma representação criminal", diz José Vicente, presidente da ONG. Isso foi indevido, inoportuno, de mau gosto e desrespeitoso. Desrespeitou todos os negros brasileiros e também a democracia. Democracia é você agir com responsabilidade", avalia Vicente.


Alguns minutos após escrever seu primeiro "twitter" sobre King Kong, Gentili tentou se justificar no microblog:

"Alguém pode me dar uma explicação razoável por que posso chamar gay de veado, gordo de baleia, branco de lagartixa, mas nunca um negro de macaco?" "Na piada do King Kong, não disse a cor do jogador. Disse que a loira saiu com o cara porque é famoso. A cabeça de vocês é que têm preconceito."


Depois ele completa sua resposta... Genial!!!!


"Se você me disser que é da raça negra, preciso dizer que você também é racista, pois, assim como os criadores de cachorros, acredita que somos separados por raças. E se acredita nisso vai ter que confessar que uma raça é melhor ou pior que a outra, pois, se todas as raças são iguais, então a divisão por raça é estúpida e desnecessária. Pra que perder tempo separando algo se no fundo dá tudo no mesmo?

Quem propagou a ideia que "negro" é uma raça foram os escravagistas. Eles usaram isso como desculpa para vender os pretos como escravos: "Podemos tratá-los como animais, afinal eles são de uma outra raça que não é a nossa.

Eles são da raça negra".

Então quando vejo um cara dizendo que tem orgulho de ser da raça negra, eu juro que nem me passa pela cabeça chamá-lo de macaco, mas sim de burro.

Falando em burro, cresci ouvindo que eu sou uma girafa. E também cresci chamando um dos meus melhores amigos de elefante. Já ouvi muita gente chamar loira caucasiana de burra, gay de veado e ruivo de salsicha, que nada mais é do que ser chamado de restos de porco e boi misturados.

Mas se alguém chama um preto de macaco é crucificado. E isso pra mim não faz sentido. Qual o preconceito com o macaco? Imagina no zoológico como o macaco não deve se sentir triste quando ouve os outros animais comentando:
- O macaco é o pior de todos. Quando um humano se xinga de burro ou elefante dão risada. Mas quando xingam de macaco vão presos. Ser macaco é uma coisa terrível. Graças a Deus não somos macacos.

Prefiro ser chamado de macaco a ser chamado de girafa. Peça a um cientista que faça um teste de Q.I. com uma girafa e com um macaco. Veja quem tira a maior nota.

Quando queremos muito ofender e atacar alguém, por motivos desconhecidos, não xingamos diretamente a pessoa, e sim a mãe dela. Posso afirmar aqui então que Darwin foi o maior racista da história por dizer que eu vim do macaco?
Mas o que quero dizer é que na verdade não sei qual o problema em chamar um preto de preto. Esse é o nome da cor não é? Eu sou um ser humano da cor branca. O japonês da cor amarela. O índio da cor vermelha. O africano da cor preta. Se querem igualdade deveriam assumir o termo "preto" pois esse é o nome da cor. Não fica destoante isso: "Branco, Amarelo, Vermelho, Negro"?. O Darth Vader pra mim é negro. Mas o Bill Cosby, Richard Pryor e Eddie Murphy que inspiram meu trabalho, não. Mas se gostam tanto assim do termo negro, ok, eu uso, não vejo problemas. No fim das contas, é só uma palavra. E embora o dicionário seja um dos livros mais vendidos do mundo, penso que palavras não definem muitas coisas e sim atitudes.

Digo isso porque a patrulha do politicamente correto é tão imbecil e superficial que tenho absoluta certeza que serei censurado se um dia escutarem eu dizer: "E aí seu PRETO, senta aqui e toma uma comigo!". Porém, se eu usar o tom correto e a postura certa ao dizer "Desculpe meu querido, mas já que é um afro-descendente, é melhor evitar sentar aqui. Mas eu arrumo uma outra mesa muito mais bonita pra você!" Sei que receberei elogios dessas mesmas pessoas; afinal eu usei os termos politicamente corretos e não a palavra "preto" ou "macaco", que são palavras tão horríveis.

Os politicamente corretos acham que são como o Superman, o cara dotado de dons superiores, que vai defender os fracos, oprimidos e impotentes. E acredite: isso é racismo, pois transmite a ideia de superioridade que essas pessoas sentem de si em relação aos seus "defendidos".

Agora peço que não sejam racistas comigo, por favor. Não é só porque eu sou branco que eu escravizei um preto. Eu juro que nunca fiz nada parecido com isso, nem mesmo em pensamento. Não tenham esse preconceito comigo. Na verdade, sou ítalo-descendente. Italianos não escravizaram africanos no Brasil. Vieram pra cá e, assim como os pretos, trabalharam na lavoura. A diferença é que Escrava Isaura fez mais sucesso que Terra Nostra.

Ok. O que acabei de dizer foi uma piada de mau gosto porque eu não disse nela como os pretos sofreram mais que os italianos. Ok. Eu sei que os negros sofreram mais que qualquer raça no Brasil. Foram chicoteados. Torturados. Foi algo tão desumano que só um ser humano seria capaz de fazer igual. Brancos caçaram negros como animais. Mas também os compraram de outros negros. Sim. Ser dono de escravo nunca foi privilégio caucasiano, e sim da sociedade dominante. Na África, uma tribo vencedora escravizava a outra e as vendia para os brancos sujos.

Lembra que eu disse que era ítalo-descendente? Então. Os italianos podem nunca ter escravizados os pretos, mas os romanos escravizaram os judeus. E eles já se vingaram de mim com juros e correção monetária, pois já fui escravo durante anos de um carnê das Casas Bahia.

Se é engraçado piada de gay e gordo, por que não é a de preto? Porque foram escravos no passado hoje são café-com-leite no mundo do humor? É isso? Eu posso fazer a piada com gay só porque seus ancestrais nunca foram escravos? Pense bem, talvez o gay na infância também tenha sofrido abusos de alguém mais velho com o chicote.

Se você acha que vai impor respeito me obrigando a usar o termo "negro" ou "afro-descendente" , tudo bem, eu posso fazer isso só pra agradar. Na minha cabeça, você será apenas preto e eu, branco, da mesma raça - a raça humana. E você nunca me verá por aí com uma camiseta escrita "100% humano", pois não tenho orgulho nenhum de ser dessa raça que discute coisas idiotas de uma forma superficial e discrimina o próprio irmão.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Registrando!!!!




Em brincadeira de mímica ontem, me lembrei de uma música fantástica gravada por Xangai e Geraldo Azevedo no CD Cantoria 2 (Elomar, Vital Farias, Geraldo Azevedo e Xangai). Ela se chama Estampas de Eucalol, e me remete a um tempo muito bom na minha vida. Lógico, sem saudosismo piegas. Quem falava muito desta música eram minhas duas amigas Solange e Santusa. Aliás, teve uma vez que ficaram um tempão com meu CD, só pra curtir cada frase desta preciosidade..... Enfim... Um aperitivo!!! Bjunda.


Estampas Eucalol

Hélio Contreiras

Montado no meu cavalo

Libertava Prometeu

Toureava o Minotauro

Era amigo de Teseu

Viajava o mundo inteiro

Nas estampas eucalol

A sombra de um abacateiro

Ícaro fugia do sol.


Subia o monte Olimpo

Ribanceira lá do quintal

Mergulhava até Netuno

No oceano abissal

São Jorge ia prá lua

Lutar contra o dragão

São Jorge quase morria

Mas eu lhe dava a mão

E voltava trazendo a moça

Com quem ia me casar

Era minha professora

Que roubei do Rei Lear.


O título Estampas Eucalol refere-se a um almanaque de curiosidades que era distribuído, principalmente no interior do Brasil, gratuitamente, ou vinculado à compra de algum medicamento.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Meu Deus... Sou órfã de pai e mãe.. A culpa é da Dilma!!!

Coisa feia o desespero... Apesar que já era de se esperar que a Folha de São Paulo enfiasse os pés pelas mãos!!! Agora... Tá ridículo né gente???? Como diz Cláudio Gonzalez, na busca desesperada para tentar derrubar a candidatura de Dilma Rousseff, a Folha acabou dando um tiro no pé. Ele ainda completa: “Faz tempo que a Folha de S. Paulo menospreza a inteligência de seus leitores, mas ao estampar na sua edição deste domingo (5) uma manchete atacando Dilma a partir de uma acusação sem pé nem cabeça, provocou a “ira”, ou melhor, o humor de milhares de internautas que ocuparam o twitter para ironizar o jornal e lançar “apostas” bem humoradas sobre qual será a próxima manchete da Folha.”

Veja algumas sugestões de twitteiros para as próximas manchetes da Folha:

Fotos revelam Dilma orientando oficiais da aeronáutica tentado impedir o Hercules com exilados a decolar no Galeão.

Quando Dilma entrou no Mar Morto, ele não estava nem doente. (com auxílio de Luis Nassif)

Confirmado: Dilma Rousseff é culpada pela maior humilhação que a internet já impôs a um jornal.

Folha denuncia: DIlma foi a grande mentora do Gargamel, no plano terrível de exterminar os Smurfs!

Investigação revela: foi Dilma quem criou a segunda-feira

Manchete da Folha:Serra lamenta: a Dilma me indicou o Shampoo

Moisés rodou 40 anos no Deserto do Sinai, porque Dilma escondeu o mapa.

Dilma Roussef inventou a vuvuzela

Noé se justifica: "Mas eu achei o bico dos tucanos tão bonitinho!"

Folha: "Escândalo! Depois de rasgar dinheiro qdo era criança; Dilma rasga o diploma de José Serra"

Dilma inventou o despertador.

Dilma abafa caso do ET de Varginha. Extraterrestre recebia mensalão.

Dilma Rousseff foi empresária dos Menudos e hoje atua nos bastidores da família Restart.

Folha: Foi Dilma quem mandou bater nos professores de São Paulo, Serra é inocente.

Segundo a Folha apurou, Dilma tentou sabotar a construção da Arca de Noé com um dossiê falso sobre construções navais.

Padre Irlandês que agarrou maratonista brasileiro em Atenas era filiado ao PT.

E tem muito mais no twitter, já que estas brincadeiras alcançaram rapidamente os Trending Topics (TTs) do Twitter entre os assuntos mais comentados do mundo. Jornalismo irresponsável e partidário tem que ser mesmo criticado e de preferência massacrado.

A tal matéria da Folha manipula informações para dar a entender que Dilma teria sido responsável por um prejuízo de R$ 1 bilhão nas despesas do governo com energia por supostamente ter demorado para mudar uma lei criada no último ano do governo Fernando Henrique. Na resposta à Folha, a candidata do PT mostrou que desde 2003 o Ministério de Minas e Energia agiu em consonância com o TCU para corrigir o problema criado pela gestão tucana de FHC.