quinta-feira, 31 de março de 2011

Não temos tempo de temer a morte!!!


Uma época triste a década de 60. Esta música retrata bem... É demais!!! Apesar dos imbecis militares (ai que medo do Bolsonaro!!!!!) terem agido de maneira cruel, tínhamos artistas para esbravejar e lembrar a eles que estávamos na luta. "É preciso estar atento e forte, não temos tempo de temer a morte..." Aliás, lembro desta música hoje, ainda indignada com a "saudade" daquele medíocre deputado Bolsonaro... Ele tem saudade do Medici, Figueiredo... Enfim... Ele também podia ter saudade de quem???? Afinal, ele chamou de promíscuo o ambiente da Preta Gil, filha do autor desta música (diga-se de passagem)...
Bom, mas lembrei desta música pra lembrar também uma coisa muito boa que aconteceu. O oficial de reserva Sebastião Curió Rodrigues de Moura, um dos chefes da repressão à Guerrilha do Araguaia, foi preso dia 29, terça-feira, em sua casa em Brasília durante uma operação de busca e apreensão a documentos da ditadura!!! Muito bom... Filho da puta tem que cantar na cadeia... Vai cantar bonitinho e se Deus quiser, entrar em extinção.
Agora só falta a Comissão de Ética da Câmara dos Deputados seguir o exemplo, e punir sem dó o filho da puta, nojento, racista e homofóbico do Bolsonaro...
Fui...

quarta-feira, 23 de março de 2011

Pra mim não falta nada!!!!

A Casa é Sua

Arnaldo Antunes e Ortinho

Não me falta cadeira
Não me falta sofá
Só falta você sentada na sala
Só falta você estar

Não me falta parede
E nela uma porta pra você entrar
Não me falta tapete
Só falta o seu pé descalço pra pisar

Não me falta cama
Só falta você deitar
Não me falta o sol da manhã
Só falta você acordar

Pras janelas se abrirem pra mim
E o vento brincar no quintal
Embalando as flores do jardim
Balançando as cores no varal

A casa é sua
Por que não chega agora?
Até o teto tá de ponta-cabeça
Porque você demora

A casa é sua
Por que não chega logo?
Nem o prego aguenta mais
O peso desse relógio

Não me falta banheiro, quarto
Abajur, sala de jantar
Não me falta cozinha
Só falta a campainha tocar

Não me falta cachorro
Uivando só porque você não está
Parece até que está pedindo socorro
Como tudo aqui nesse lugar

Não me falta casa
Só falta ela ser um lar
Não me falta o tempo que passa
Só não dá mais para tanto esperar

Para os pássaros voltarem a cantar
E a nuvem desenhar um coração flechado
Para o chão voltar a se deitar
E a chuva batucar no telhado

A casa é sua
Por que não chega agora?
Até o teto tá de ponta-cabeça
Porque você demora

A casa é sua
Por que não chega logo?
Nem o prego aguenta mais
O peso desse relógio